HEIDI :. Johanna Spyri

HEIDI
JOHANNA SPYRI
Ediouro
 

Heidi é uma garotinha órfã de 8 anos que vivia com sua tia.

Ao arranjar um emprego, a tia manda Heidi morar com seu avô, um pastor de uma pequena vila nos Alpes Suíços.

O avô de Heidi é um sujeito rude e não gosta muito da idéia mas, no fundo, ele tem um bom coração, que Heidi acaba por conquistar.

Tudo se ajeita e Heidi vive suas aventuras com muita alegria, criando cabras e brincando com seu amigo Pedro, um pequeno pastor da vila.

Mais tarde, ela é enviada para Frankfurt para cuidar de seu futuro e Heidi passa a morar e trabalhar na casa de uma família rica, onde conhece Clara, uma garota loirinha muito gentil que está presa a uma cadeira de rodas, e as duas se tornam grandes amigas. 

♥•.¸¸.•♥´¨´♥•.¸¸.•♥•.¸¸.•♥´¨´♥•.¸¸.•♥•.¸.•♥

Recomendo!

Para muitas crianças, 'Heidi' foi a primeira amiga no mundo dos livros.

A "Menina dos Alpes" é a famosa personagem criada por Johanna Spyri em 1871, cujos livros já foram traduzidos em 50 idiomas e vendidos em milhões de exemplares.

Quem não conhece Heidi, a órfã que foi levada para ser criada pelo avô numa cabana nos Alpes? Depois de se acostumar ao ancião solitário, ela ganhou amigos e se tornou feliz em meio à liberdade da natureza e dos animais nas montanhas. Um dia, ela foi levada para uma grande cidade, cheia de perigos e opressão. Na família que a recebeu, ela sofreu junto com uma menina paraplégica e infeliz, lutando com todas as suas forças para retornar ao seu lar nas montanhas.

"Heidi" é um clássico da literatura infanto-juvenil, especialmente para as meninas, que narra a história sobre a vida de uma menina órfã da Suíça e que constrasta a confusão da cidade com a vida nas montanhas. Teve inúmeras versões em filmes e desenhos animados.

Assisti, juntamente com minha família, a uma série de desenhos animados produzida em 1974, entre elas 'Heidi', que foi exibida por Silvio Santos no meio de seu programa dominical, na década de 80, quando pequena e me encantei!

Vou falar no quadro abaixo um pouquinho mais sobre essa série:

Os anos 70 e início dos anos 80 foi vantajoso em séries de animação, principalmente as japonesas, que então faziam a delícia das crianças, e que hoje são memórias e recordações incontornáveis.

"Heidi - A Menina dos Alpes", é uma dessas séries memoráveis e marcantes que passou pela RTP cativando todo o país.


A série de animação "Heidi" foi baseada no livro da escritora suiça Johanna Spyri, tendo sido produzida em 1974, com um total de 52 episódios de meia hora, cujo diretor de arte foi Hayao Myiazaki.

Heidi tornou-se popular em todo o mundo devido principalmente a esta série de animação, mas o livro que lhe deu lugar serviu também de adaptação a uma dezena de filmes, o primeiro dos quais em 1920, nos Estados Unidos, ainda na era do cinema mudo. No país de origem da história, a Suiça, foi realizado um filme em 1952. A última película conhecida data de 2005, uma produção inglesa.
Com todo o sucesso, o êxito de Heidi estendeu-se ao marketing. Na Suiça é fonte de orgulho e motivo de multidões de turistas, que visitam o local relacionado com a história.


Só anos mais tarde, durante minha juventude, foi que cheguei a ler a obra da escritora suíça Johanna Spyri e nunca esqueci esta história. Até hoje tenho esse livrinho!
 
Apesar de ser voltado para o público juvenil, essa é uma história lindíssima, humana, sensível. Baseada em fatos reais.

Abaixo vou contar resumidamente a história do livro, juntamente com a série animada, porque ambos são similares, mas completamente diferentes, porém a essência da história é a mesma, mas vou logo avisando que contém alguns SPOILERS!

Heidi é uma menina orfã, de oito anos, nascida nos alpes suiços, e que vive com a sua tia Dette. Ela tinha apenas cinco anos quando perdeu seus pais e foi morar com a sua tia. Devido a uma crise, Dette não pode mais sustentá-la, pois acaba de arranjar um emprego fora da aldeia e vê-se impossibilitada de continuar com a sobrinha aos seus cuidados e  decide entregá-la ao familiar mais próximo, seu avô paterno, um homem frio e carrancudo que vive no cimo da montanha, pastor, tido por todos como solitário e de modos rudes. 

A princípio, o avô mostrou-se renitente em aceitar a menina, mas aos poucos, com seu coração de ouro, começou a afeiçoar-se áquela criatura tão irrequieta quanto amorosa.  Na casa do avô, Heidi dormia no feno e tinha uma vida feliz e saudável em meio à natureza e às montanhas. Simultaneamente, Heidi torna-se amiga inseparável de Pedro, uma criança, um pouco mais velha, que tomava conta do rebanho de cabras e ovelhas do avô de Heidi. Heidi torna-se também no anjo da guarda da avó de Pedro, uma velhinha cega, que vive na aldeia. Com seu jeito de ser e com sua alegria contagiante, ela acabou mudando a vida de várias pessoas e bichinhos que viviam ao seu redor e, com isso, a menina acabou quebrando também o gelo do coração do avô. Quando todos notaram a mudança no jeito de ser do ancião, devido à Heidi, pouco depois Dette volta e leva a menina, contra a vontade, porque, a tia, pensando num melhor futuro para a sobrinha, decidiu enviá-la para Frankfurt, na Alemanha, para ser dama de companhia de Clara, uma menina paraplégica, filha de uma família abastada, que vivia em uma mansão austera. Lá, apesar da sua profunda amizade com a pequena e dócil Clara, Heidi é constantemente hostilizada pela governanta, Rottenmeyer. Esta acaba por fazer com que Heidi seja expulsa e regresse à Suiça para a cabana do avô, em plena montanha. Clara fica desolada com a decisão dos pais, perpretada pela governanta. As duas amigas embora separadas mantêm correspondência frequente e Clara acaba por convencer os pais a passar umas férias na aldeia de Heidi. Uma vez aqui, depois de várias peripécias, a saúde de Clara começa a melhorar com o ambiente saudável da montanha e da alegria em estar com a amiga, com esta sempre a encorajá-la até que num acidente provocado por Pedro, que tinha ciúmes de Clara, esta vê-se forçada a ficar de pé, sem a cadeira de rodas e então, milagrosamente, começa a andar, para espanto dela própria e de todos. Até a antipática governanta se vê rendida ao coração dócil de Heidi. 

No livro, diferentemente da série animada, o tempo passa e as duas tornam-se melhores amigas, Heidi aprende a ler e é educada pela mãe do Sr. Gerard, o pai de Clara. A avó de Clara era uma mulher dócil e amorosa que sempre tratou carinhosamente a todos os semelhantes, em especial, Heidi, que estava sentindo falta dos seus. Porém, no decorrer da história, Heidi adoece por causa de saudades do avô e dos Alpes. A doença foi tão séria que a tia Dette precisou levar a menina de volta para a casa do avô, para que não morresse, mas Clara, sentindo saudades, foi visitá-la. Com ciúmes, Pedro jogou a cadeira de rodas de Clara morro abaixo. Nisso, Heidi mostrou mais uma vez o quão especial era. Ela ensinou Clara a andar, realizando um milagre. 

Muitas gerações de crianças se encantaram com a história de Heidi, essa adorável e alegre menina que, na sua maneira inocente, consegue transmitir o sentido da verdadeira felicidade a todos os que com ela convivem. É a docilidade e a sabedoria ingênua desta personagem que permite descobrir que são os pequenos gestos e as atitudes, os verdadeiros sentimentos, como o amor, a generosidade e a simplicidade, alguns dos "segredos" para se alcançar essa felicidade. Não é à toa que Heidi é uma das histórias infantis mais populares do mundo e que continua ensinando até nos dias de hoje, porque ela trazia alegria e luz ao coração de todo mundo com pureza de pensamento e simplicidade fazendo verdadeiros milagres.

Até hoje, nunca li nada igual, porque mexe com a imaginação, emociona e nos faz viajar livremente através dos olhos infantis de Heidi. Maravilhoso e excelente do início ao fim, tanto é que está gravado até hoje em minha memória, porque foi uma das mais belas histórias já contadas que transformou o meu coração.

Esse livro, me ensinou a viajar através da minha imaginação e, ao mesmo tempo, mexeu com meus sentimentos, porque ele fala que podemos acreditar em si mesmo, ser confiante e prestar atenção no que falamos que pode mexer com os sentimentos das pessoas e, às vezes, até curá-las só com a confiança, com o amor dos pais e dos seus amigos.

Por isso, aconselho-os a lerem esse livro, porque sua vida mudará após lê-lo, como também a assistirem a série animada tão singela, 'Heidi', porque eu cresci vendo-a, seguidamente de outra série: "Marco: Dos Apeninos aos Andes", que foi produzida em 1976, com 52 episódios. Foi exibida ao término de 'Heidi', no programa dominical de Sílvio Santos, 'Domingo no Parque' e, anos mais tarde, pela TV Record.

Quem não se lembra do Marco? Era um anime maravilhoso. Uma história extremamente triste e o sofrimento pelo qual passava o personagem, regado a uma trilha melancólica de dilacerar o coração, fazia com que eu e minha família chorássemos todos os dias em que assistíamos cada capítulo. (risos). Isso tudo porque nenhum adulto ou criança jamais quis estar no lugar daquele menino. E, saibam que, por incrível que pareça, as aventuras de Marco mesmo entristecendo os pequenos corações infantis do princípio ao fim de cada episódio, principalmente quando o menino cantava uma musiquinha com uma letra bem deprimente, alcançou um grande sucesso em vários países.

Em comparação com os péssimos programas atualmente, essas séries animadas eram singelas, educativas, onde ensinava bons valores morais, como amor, respeito e sincera amizade ao próximo.

Elas marcaram muito a minha infância! Eram inesquecíveis e deixaram muita saudade!

Fontes: Santa Nostalgia, Wikipedia, Swissinfo.ch

4 comentários:

  1. oi ja ouvi essa historia da heidi pois ouvia ela pela radio nacional da amazonia o começo da decada de 80 e sei que tem ele em disco vinil gostaria de saber onde se localiza, pode ser em cd, pois queria muito adquiri-lo..é muito importante pra mim..hoje estou com 42 anos e essa historia mexeu muito comigo..se puder me mande pelo e-mail jair_salles@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Esta história é maravilhosa! Eu sempre a ouvia na infância no programa "Encontro com tia Leninha" da rádio Nacional da Amazônia! Bons tempos aqueles! Derramei muitas lágrimas emocionadas ouvindo esta história encantadora!

    ResponderExcluir
  3. Que lindo seu blog. Amei o resumo de Heid.

    ResponderExcluir
  4. Que lindo seu blog. Amei o resumo de Heid.

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.