O Mapa do Tempo :. Félix J. Palma


O MAPA DO TEMPO
FÉLIX J. PALMA
Intrínseca

Título Original: El Mapa del Tiempo

Primeiramente, quero ressaltar que esse livro foi uma das grandes surpresas desse ano da Editora Intrínseca, que me cedeu cortesmente esse exemplar através da parceria e, a cada novo lançamento, é uma novidade para mim e, é claro, quem ganha com isso somos nós, ávidos leitores. E nós só agradecemos!

Um livro excelente, excitante e inovador que te entretém e, ao mesmo tempo, te diverte, arrebatando-o desde os primeiros capítulos, porque é um romance de fantasia com aventuras com as quais você nem sequer poderia sonhar em um ambiente histórico impressionante.

Nele você vivenciará as melhores aventuras em uma viagem no tempo, que será tão alucinante que você perderá o fôlego a cada página, a cada desfecho no desenrolar de um enredo muito bem elaborado em um emaranhado de emoções com personagens incrivelmente célebres, magníficos, memoráveis e inesquecíveis da era vitoriana, dos quais só vemos ou ouvimos falar através dos livros, entre eles Colin Garrett, o inspetor da Scotland Yard; os escritores Júlio Verne; Henry James; Bram Stoker, de "Drácula"; H. G. Wells, de "A Máquina do Tempo" e o homem invisível; como também o Homem Elefante e Jack, o Estripador, o assassino serial killer.

A história é dividida em três partes e começa em Londres, 1896. Com suas criações e invenções, autores e cientistas faziam crer que a ciência fosse capaz até mesmo de concretizar as viagens temporais. Diante dessa atmosfera de culto ao progresso, o público do século XIX, ávido pelas novidades resultantes da industrialização, ansiava por viajar ao futuro, através da Viagens Temporais Murray, uma empresa que foi inaugurada com o objetivo de levar os interessados ao ano 2000, já que esse assunto foi abordado um ano antes através do livro "A Máquina do Tempo" e, além do crescimento científico, há o imperialismo, a ascensão das sociedades e a miséria urbana. E é através desse clima que tudo começa...

A primeira parte conta a história de William Harrington, casado com a filha de um fabricante de fósforos, que chegou a um mundo dominado pelas máquinas e entendeu que isso não aboliria o velho modo de fazer as coisas feitas a mão e fixou uma meta com o intuito de enriquecer ao lado de seu cunhado Sidney. Mas não vou falar sobre a história de William e, sim, do seu filho Andrew, porque a primeira parte do enredo é sobre esse jovem de família abastada, que não se dá muito bem com o pai, mas tem em seu primo Charles Winslow, um verdadeiro irmão. E, nesse meio tempo, Andrew acaba apaixonando-se por Marie Kelly, uma prostituta de Whitechapel, o que acaba sendo uma afronta para o seu pai, que o expulsa de casa, mas algo inesperado acontece: Marie Kelly é encontrada morta e esquartejada por ninguém mais, ninguém menos que Jack, o Estripador. Andrew fica arrasado e está a ponto de suicidar-se, quando percebe que nada pode apagar a dor que ele sente pela morte da amada, mas ele abandona essa ideia quando viaja no tempo com o intuito de salvá-la de mais um crime do estripador, e com isso acaba salvando a si mesmo. Entretanto, as viagens no tempo não se limitavam a experimentar o amanhã, porque Andrew viaja ao passado, retrocedendo oito anos no tempo, de 1896 a 1888. Será que ele conseguiu salvar Marie das garras de Jack, o Estripador? Só lendo mesmo para saber. (risos).

A segunda parte conta a história de Claire Haggerty, uma jovem de 21 anos de idade, de família abastada, inteligente e determinada, insatisfeita em viver sob as condições impostas pela sociedade, porque gostaria de viver em outra época para não ter de estudar piano, usar vestidos desconfortáveis, escolher um marido em meio ao enxame de ávidos pretendentes que a acossavam e carregar para todo lado aquela ridícula sombrinha. (Aff! Acho que até eu ficaria entediada!) Ela queria simplesmente morrer, porque não esperava nada da vida, que era um tédio só, porque esse mundo não a seduzia de forma alguma e, por mais que se esforçasse, não conseguia encontrar nada que lhe agradasse, que a divertisse ou intrigasse, porque sua época carecia de estímulo e emoção. Perturbava-a o fato de não encontrar outra pessoa que pensasse da mesma forma e demonstrasse essa profunda decepção e isso inquietava-a profundamente. Devido a esse mal-estar, ela tornou-se uma criatura selvagem, antissocial e sarcástica que divertia-se arruinando as reuniões familiares. Devido a esses fatos contundentes, Claire está completamente convencida de que nenhum de seus pretendentes podem amá-la verdadeiramente como ela acha que merece, mas acaba rendida aos pés de um soldado do futuro que conhece através de uma viagem ao tempo no ano 2000 por causa dessa grande insatisfação que ronda a sua vida. Esse homem ainda não nasceu no seu tempo, porque ele vive no futuro, onde está havendo uma célebre guerra contra os malvados autômatos. Será que eles vão viver um grande história de amor através do tempo? Isso, você só saberá lendo o livro... e garanto que é a melhor parte. Eu torcia e vibrava a cada momento. (risos).

Entre as inúmeras histórias que li, uma das melhores foi a do escritor H. G. Wells que sempre teve um profundo pesar por não contar com o apoio dos pais, porque sua mãe desejava que ele fracassasse nos estudos, confirmando assim sua crença de que os Wells só serviam para o ofício de tecelão, pois era impossível que surgisse um gênio de um material tão discutível como a semente de seu marido. O pai, por sua vez, era o exemplo vivo de que se podia desfrutar o fracasso tanto quanto a felicidade. Mas essa é apenas uma parte da história do escritor e, em meio a tudo isso, a história dos outros personagens vão entrelaçando-se ou cruzando os caminhos do escritor que até mesmo, na terceira parte do livro, enfrenta os perigos dos deslocamentos temporais quando um misterioso viajante chega à sua época com a intenção de assassiná-lo e roubar-lhe a autoria de um romance, obrigando-o a uma desesperada fuga através dos séculos, atravessando a Segunda Guerra Mundial e os anos 80 até perder-se em um futuro tão remoto como insondável.

Amei ver muitas obras e autores citados nesse livro, sendo que muitos deles eu já tive o prazer de ler.

Adorei ver como "Drácula", o clássico do Bram Stoker, foi criado e surpreendi-me. Achei muito interessante e, para vocês degustarem um pouquinho, deixo apenas um trechinho dessa parte:

"Havia trabalhado seis longos anos naquela obra, desde que o (...) especialista em ocultismo lhe emprestara um manuscrito no qual os turcos narravam as cruéis aventuras do príncipe valáquio Vlad Tepes, mais conhecido como Vlad, o Empalador, por causa de seu costume de empalar os prisioneiros em estacas afiadas e beber uma taça de seu sangue enquanto os observava agonizar."

Foi maravilhoso ser transportada nesse mundo repleto de aventura, amor, romance, suspense, mistério, ação, terror, literatura, humor, poesia, enfim... uma história recheada com todos os ingredientes de um grande romance. Se você gosta de tudo isso e, melhor ainda, viajar pela história, esse livro é um prato cheio!

Esse livro foi surpreendente com muitas aventuras e com desfechos inesperados. Durante a leitura, ficava a eterna pergunta e muitas vezes questionei-me a esse respeito em outros livros que li ou filmes que assisti:

"O que acontece quando alteramos o passado? Será possível reescrever a História?"

Mas acho que essa é uma pergunta que todos nós fizemos em algum momento de nossas vidas!

Só mesmo o autor para tecer com astúcia, uma fantasia histórica criativa e vibrante, que homenageia o nascimento da ficção científica e transporta o leitor à fascinante Londres vitoriana, oferecendo uma inesquecível viagem literária através do tempo repleta de aventuras.

Só para concluir, achei "O Mapa do Tempo" fascinante!

9 comentários:

  1. Carla;
    Estou vibrando nas páginas deste livro... cada vez q viro uma folha é uma mistura do passado com as criações do autor tão fascinante, que eu fico com medo de que acabe.
    Ótima dica de leitura =)

    ResponderExcluir
  2. Deu vontade de ler só pela resenha! kkkkkkk.
    Carla, adorei.
    Vou acrescentar na minha pilha, só Deus sabe quando, afinal a pilha só cresce e cresce!
    kkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Como classifiquei no ícone ali em cima, excelente resenha!

    Esse livro deve ser fabuloso. Misturar tantos personagens densos, com o sonho de viajar no tempo. É ingrediente que rende muita história.

    Preciso desse livro.

    P.S.: Vc tá lendo A Passagem? Esse livro é DEMAIS!!!

    Louca por sua resenha :D

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá, Andy.

    Eu também vibrei a cada página, a cada capítulo desse livro, que é fantástico!

    Adoro histórias que mostram o presente, passado e futuro. O autor foi brilhante ao criar um enredo com uma viagem no tempo fascinante!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Faby.

    Que legal que minhas resenhas aumentam a sua curiosidade!

    A minha pilha está virando o quarteirão. (risos).
    Só aumenta cada vez mais! :)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Dandra.

    Esse livro foi fascinante e surpreendeu-me muito pelo fato de abordar fatos históricos, escritores e literatura e faz com que você viaje através do tempo e a história fica cada vez mais emocionante a cada página.

    Você vai adorar!

    Comecei a ler "A Passagem", e ainda estou no comecinho. Na pág. 30, mas ele já me arrebatou! Estou adorando! Em breve, resenharei aqui. :D

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oi Carla!
    Estou com o livro aqui, mas sem tempo de ler. rsrs
    minha pilha está imensa, mas vou dar um jeito de lê-lo logo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Só acho a capa do livro muito feia, e sou louca por capas, kkk
    Mas pela resenha né, dá uma vontadinha de ler, kkk
    Mas um pra lista!
    beijo!

    ResponderExcluir
  9. Olá Carla, sempre ouço falar desse livro e a história e sua resenha me chamou muito a antenção! Um dia quero lê-lo. Abraços!

    Laerte Lopes - Blog Medo

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.