Amor além da Vida - Richard Matheson

AMOR ALÉM DA VIDA
RICHARD MATHESON

Este é o primeiro livro do autor que leio que, no original em inglês intitula What Dreams May Come, com 288 páginas, é um romance espiritualista, cujo pano de fundo é a sobrevivência da vida após a morte.

Tudo começa quando Robert Nielsen recebe uma mensagem de seu irmão Chris, falecido há mais de um ano, através de um manuscrito psicografado por uma médium.

Não sou um homem religioso, mas, como qualquer pessoa, certamente gostaria de acreditar que a morte é algo mais do que esquecimento. (...): se o manuscrito é verdadeiro, todos nós precisamos examinar nossa vida. Com cuidado.

Pág. 16

Chris e Annie eram charmosos e devotados um ao outro há vinte e seis anos, mas também vulneráveis e de temperamento forte. Tinham uma vida plena e feliz ao lado dos filhos Louise, Ian, Marie e Richard, sempre os apoiando e nunca os privando de nada.

Sei que papai nos amava e mamãe nos amava. Mas havia sempre esse algo mais entre eles, essa harmonia especial que jamais conseguíamos tocar. Algo precioso. Algo além das palavras.

Pág. 60
Ele sempre cuidou de mim, sempre tolerante e compreensivo. Ele aceitava minhas provocações com graça e tinha um maravilhoso senso de humor. Eu sabia que ele me amava. (...). Eu lhe enviava bilhetes dizendo que ele era “o melhor pai do mundo” e o amava, mas queria ter-lhe dito isso mais vezes pessoalmente.

Pág. 58

Apesar de alguns traumas da infância e das desavenças, tiveram momentos bons e difíceis, porque eram muito unidos, apaixonados e almas afins porque se completavam, até que um dia ele sofre um acidente de carro fatal. Após a perda do amado, Ann desvanece e pretende dar fim à própria vida, já que perdeu sua razão de viver.

Ela sentia medo por mim. Eu sentia sua angústia. Ela sofria terrivelmente. Tentei afastar as sombras, mas não consegui. Tentei em vão dizer seu nome. Não chore, pensei. Ficarei bem. Não tenha medo. Eu a amo, Ann. Onde você está?

Pág. 20

Enquanto isso, no Além Chris une forças, amparado por seu primo Albert e seus novos amigos, para ajudá-la.

- Meu Deus, não, querida. Por favor, não chore. – Eu chorava também, teria aberto mão de meu espírito apenas para que ela pudesse me ver por um minuto, ouvir minha voz, receber meu consolo e amor.


Pág. 39

Confuso entre os dois mundos, ele tenta entender e aceitar este fato. Em seus conflitos e confusões interiores, revive as lembranças dos seus fracassos pessoais e profissionais que o assolaram, mas redescobre o sentido de cada experiência que viveu com equilíbrio e senso de justiça.

(...): escuridão em paralelo com luz, crueldade com compaixão, luxúria com amor. E sempre, incessantemente, a mais secreta mensagem: o que você fez com sua vida?

Pág. 41

Ao cair em si, entra em profunda apatia com a revelação estarrecedora, porque nunca acreditou na espiritualidade, mas agora está vendo que o fim é apenas o início.

Ann e as crianças me faziam tanta falta! Por que não disse a eles, mais vezes, como os amava?

Pág. 119

Era incapaz de se libertar, porque o a dor, o desespero e o sofrimento da esposa mantinha-o preso à Terra, porque ela não admite a possibilidade de que ele esteja vivo em outra dimensão.

- Eu não acredito em vida após a morte – Ann interrompeu-o. – Acredito que, quando morremos, nós morremos e isso é o fim de tudo. Agora, você quer que eu...

Pág. 49

Passa por uma experiência traumática de negação e por fim de aceitação na transição dolorosa em sua determinação de contatar a esposa, até que um dia fica entorpecido quando descobre que Ann rompeu o elo que os unia, violando as próprias leis (não direi como ela rompeu esse elo, porque seria spoiler).

Por favor, pensei. Deve haver um jeito para que Ann possa me ver e ser confortada ao saber que ainda existo!

Pág. 46

Será que Chris conseguirá enfrentar todos os mistérios do mundo superior e inferior para encontrar e salvar a esposa por quem sente um amor além da vida?

Só garanto que em sua jornada espiritual encontrará perigos assustadores
. Ele seria suficientemente forte para encontrá-la, mesmo correndo o risco de perdê-la para sempre?

- Chris, mesmo se a encontrar, o que é impossível, ela olharia para você e não o reconheceria. Ouviria sua voz e não se lembraria de você. Sua presença seria incompreensível para ela. Não só ela não aceitaria suas ofertas de ajuda, como nem mesmo o ouviria.

Pág. 162

Os momentos finais foram os mais emocionantes e tocantes do livro, especialmente pela belíssima declaração de amor (vide páginas 248 a 252), cuja mensagem me deixou profundamente comovida.

Peço desculpas por todos os momentos em que decepcionei você, por cada momento que deixei de dar a compreensão que merecia. (...) por não ter sido paciente e gentil quando deveria ter sido. (...) por todos os momentos em que fui egoísta e incapaz de ver suas necessidades. (...).

Pág. 252


O romance inspirou o filme homônimo, estrelado por Robin Williams, Annabella Sciorra e
Cuba Gooding Jr., cuja fotografia é esplendorosa e ricamente adornada em detalhes que nos transporta para um mundo onde visualizamos essencialmente a história como uma pintura em tela, mesmo sendo distintos, apesar das similaridades. Os efeitos visuais são primorosos.
  • No livro Chris é escritor; no filme, pediatra.
  • No livro, tem quatro filhos crescidos que sobrevivem às grandes perdas; no filme, apenas Ian e Marie, já adolescentes que falecem em um acidente.
  • No livro, além do romance em si também foca na ciência; no filme, mostra o lado romântico e idílico da história.
  • No livro, o mundo inferior é descrito de forma sombria, cruel e dolorosa; no filme, isso foi suavizado.
Com diagramação e revisão excelentes, assim como design interior maravilhoso, esta é a primeira vez que leio este romance, depois de ter assistido ao filme inúmeras vezes. Ao lê-lo, tive emoções intensas porque aborda uma grande questão: “Será que há vida após a morte?”. Na introdução, o autor avisa que uma parte da história é ficção, enquanto o restante é fruto de muito estudo e pesquisa.

Apesar de não ser seguir essa religião, sempre gostei de algumas obras da Zibia Gasparetto e da Elisa Masselli, que lembram aqueles romances água com açúcar que gostamos tanto, mas sempre focado na espiritualidade.

O enredo de Amor além da Vida é emocionante e passa uma bela mensagem de esperança de que a morte não é o fim e, sim, o começo de tudo, porque o amor é uma força motriz capaz de superar todas as barreiras. Diferente do filme que me extasiou, o livro é minuciosamente detalhista nas questões referentes ao nascimento, vida, morte, reencarnação, carmas e todas as leis que regem o nosso destino e como elas influem em nossa maneira de agir, o que pode acarretar graves consequências. Apesar desses detalhes, que achei meio cansativo, não deixa de ser interessante e curioso, porque o livro gera profundas reflexões, mesmo para aqueles que são céticos ou não seguem a doutrina espirita.


23 comentários:

  1. Carla não consegui terminar esse livro, como você disse, achei cansativo. As coisas demoram muito para acontecer e não tive paciência.

    Realmente o livro difere muito do filme, eu prefiro o filme.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Que linda resenha Carlinha! Sou apaixonada pelo filme e apesar das diferenças que vc cita no final do post, só aumentou minha vontade de ler esse livro.

    Amei as citações que vc descreve, que exemplifica lindamente  o quanto o texto parece ser bem escrito e carregado de emoção.

    Apesar de vê-lo por diversas vezes em livraria, ainda não tenho esse livro, obrigada pela dica, que só me incentivou à compra.

    Beijos amore!

    ResponderExcluir
  3.  Eu quero, quer dizer, eu PRECISO deste livro, sempre gostei de livros espiritualistas e ando lendo muita coisa no gênero nos últimos tempos sem contar que o filme é maravilhoso!!!!!!
    Super obrigada pela dica Carlinha.

    Vanessa - Balaio

    ResponderExcluir
  4. Oi, Juliana.

    Por conta da parte científica quase cheguei ao ponto de abandoná-lo pelo fato de ser cansativo mesmo, mas como sou persistente fui até o fim e valeu muito a pena, porque o final foi profundamente comovente.

    Também gostei mais do filme. Acho que foi a primeira adaptação que a meu ver conseguiu superar a obra, mas vale a pena ler o livro também.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5.  Oi, Leninha.

    Este livro é a sua cara. Também sou apaixonada pelo filme. Já perdi a conta de quantas vezes revi. Sempre que passa na televisão, não perco a chance de assistir novamente.

    O texto é muito bem escrito e comvente quando vemos o desespero do personagem em contatar a amada.

    Apesar dos dois serem distintos, vale a pena conferir cada um deles e tirar suas próprias conclusões.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Vanvan Meiser.

    Também gosto muito, especialmente dessas escritoras que citei acima.

    Agora estou lendo um ótimo Cidade dos Deuses, da Evanice Maria Pereira e adorando a história, que está bem envolvente. Breve, posto a resenha aqui.

    Se você é fã do gênero, vai adorar!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Carlinha, adorei a resenha!

    Não tive a oportunidade de ler, nem de assistir o filme. =/ 
    Não gosto de livros detalhistas justamente por achar que ficam cansativos e arrastados. 

    Acho que vou começar pelo filme, se gostar, leio o livro kkk

    Beijocas

    ResponderExcluir
  8. Oi, Gabi.

    Sério? Pensei que já tinha assistido ao filme, que é sensacional.

    Depois de tantos anos revendo o filme, só fui conferir a obra agora.

    Apesar das similaridades entre os dois há algumas diferenças, mas vale a pena conferí-los e tirar suas próprias conclusões.

    O filme é profundamente comovente, focado no lado romântico, mas os momentos finais do livro me levou às lágrimas.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. HUm, tenho quase certeza que já assisti ao filme. O livro me parece bom, apesar de não ser o meu tipo de leitura preferido.

    bjs no core

    ResponderExcluir
  10. É o tipo de livro que só pelo título já me conquista, forte que passa uma mensagem.
    Sabia que tinha o filme, mas só vou ver depois de ler o livro que pelo jeito é emocionante mesmo Carla.

    Faby - Adoro Romances de Aracaju

    ResponderExcluir
  11. Oi Carlinha!

    Eu comecei a ler esse livro, mas parei na metade do caminho... ele me deu sono! kkkk

    Bjs!

    Carla
    @kkkarlla
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  12. Nossa que legal! Eu não sabia que a história do filme era de um livro. Eu amei esse filme quando assistir. Vou ler o livro agora que sei de sua existência. 

    ResponderExcluir
  13. Não conhecia o livro e nem o filme, mas só pelo título já vale a leitura.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  14. Poxa que lindo... só com a resenha eu chorei.. vou procurar ao menos o filme... o livro no momento é algo complicado para mim...
    Eu gosto muito desse segmento de leitura!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Danielle.

    Se com a resenha você ficou emocionada, com o filme então... melhor preparar os lencinhos, porque é lindo demais!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Oi, CamyTom.

    O filme é lindo mesmo e inesquecível. Até hoje não me canso de assistir quando posso.
    O livro é bem diferente, mas a essência é a mesma. Vale a pena conferir e tirar suas próprias conclusões.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Oi, Carla.

    Sério? Tem alguns trechos cansativos mesmo, mas como já estava mais da metade da leitura, decidi ir até o fim e ver no que dava e me emocionei, porque já conhecia o filme.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Oi, Rose.

    Apesar de distintos, vale a pena conferir os dois.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Oi, Faby.

    Concordo plenamente.
    Mas nesse caso não vai atrapalhar em nada se você assistir ao filme primeiro. Pode vê-lo sem medo.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. É o que pretendo fazer.Bjs, Rose.

    Subject: [sonhodereflexao] Re: Sonho de Reflexão: Amor além da Vida - Richard Matheson

    ResponderExcluir
  21. Boa tarde!

    Ótima resenha! Gostei do enredo e espero gostar tanto quanto você. 

    BeijosLucianaApaixonada por Romanceshttp://www.apaixonadaporromances.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Oi Carla!

    Não gostei do filme, como tinha te dito, mas como você me disse que o enfoque do livro é diferente, pensei em dar uma chance, viu! Gosto desse tipo de literatura. 

    bjs!

    ResponderExcluir
  23. Eu nunca vi o filme nem li o livro, mas já ouvi coisas maravilhosas a respeito do filme e agora do livro. Vou anotar a dica!

    Bjs.

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.