Lírio Vermelho - Nora Roberts

LÍRIO VERMELHO
NORA ROBERTS
Bertrand Brasil


Este livro (Red Lily, com 336 p.) é o último volume da Trilogia das Flores, que foca na história de Hayley Philips, que nos volumes anteriores tenta refazer sua vida ao lado da sua doce Lily, com a ajuda da prima Rosalind, e se apaixonou pela floricultura.

Forte e sensata, mas também teimosa e obstinada, ela quer entender como as mães solteiras criam seus filhos enfrentando todas as exigências do coração, do corpo e do bolso.

Sua garotinha encantadora se afeiçoou a Harper, por quem se vê irremediavelmente atraída como homem, não como amigo, protetor e benfeitor. Em meio a tranquilidade há um sentimento intenso.

Impulsiva, receia ceder ao seu desejo por medo de perder sua amizade, porque não acha isso correto ainda mais por ser proibido, já que Lily era sua primeira prioridade; e em segundo, o emprego, que era sua segurança.

Imaginou que um dia teria um jardim, imaginou Lily brincando nele. (...). Se pudesse ter isso tudo, não poderia acrescentar um homem? Alguém que as amasse, a ela e a Lily, um homem divertido e inteligente que fizesse seu coração bater mais depressa quando olhasse para ela?
Pág. 29

Solitário, Harper era competente e criativo, já que herdara da mãe seu amor pela jardinagem. Seu trabalho exigia paixão, paciência e fé. Apesar do seu autoritarismo e do temperamento explosivo, o personagem evoluiu muito neste volume, tornando-se descontraído e atraente aos olhos do leitor.

Gentil, orgulhoso, sarcástico e muito romântico, nunca conheceu alguém que lhe interessasse tanto física como emocionalmente e compartilhasse seu amor pelas plantas. Para ele, o casamento refletia amor, dedicação, respeito e uma amizade inabalável.

Ela o via como um amigo. Deus do céu, provavelmente ela o via como uma espécie de irmão.
Portanto, tinha que continuar a sufocar esses sentimentos pouco fraternais até apagar todas as faíscas. Ou até ficar completamente consumido.
Pág. 56
- Portanto, você nem sequer sonhe em se pôr à minha frente, Hayley, em desistir seja do que for para me proteger dela.
Pág. 119

Para piorar ainda mais a situação, a Noiva Harper está cada dia mais assustadora, calculista e sinistra por conta da fúria e do ódio acumulados e aprisionados. Já sabemos através das histórias de Stella e Rosalind, que ela faz mal a quem se envolve emocionalmente com alguém por amor.

Não. Amélia não tinha razões para estar zangada com ela, pensou Hayley. Não tinha namorado, nem marido, nem amante. O único homem que desejava lhe era proibido.
Pág. 48

Infelizmente, ela passou dos limites, pois agora utiliza o corpo de Hayley usufruindo de seus pensamentos – muitos deles mesquinhos e desagradáveis – interferindo em suas ações colocando a vida de todos em risco.

Amélia estava à porta, com a tempestade rugindo às suas costas. Atrás dela, através dela, Hayley conseguia ver as árvores fustigadas pelo vento e as nuvens negras que cobriam o céu.
Os cabelos dela estavam pastosos e desgrenhados, a camisola branca manchada de lama que pingava, ou parecia pingar, numa poça imunda em volta de seus pés descalços e ensanguentados. Trazia uma lâmina comprida e curva numa das mãos, uma corda na outra. E o seu rosto era uma máscara de raiva e amargura.
Pág. 121

Por isso, eles precisam identificá-la o quanto antes e encontrar uma maneira de fazer com que a fantasma descanse em paz, já que não tem há séculos, desde que enlouqueceu por conta de alguém cruel.

- (...). O amor é uma dádiva, Hayley, para ser dada e recebida livremente.
- O amor é uma mentira, uma ilusão criada por mulheres fracas e homens interesseiros. Uma desculpa para a classe média procriar e ignorar os que estão acima deles, para que possam casar dentro do seu próprio meio e acumular mais riqueza.
Págs. 178-179

Mesmo estando feliz e assustada com seus verdadeiros sentimentos, ela estará disposta a correr o risco por Harper em nome de sua felicidade e da filha, já que ambos são jovens livres e descompromissados?

Então, isso era o amor, pensou ela. Essa confiança absoluta, essa rendição. Essa dádiva total do coração que a deixava aberta, indefesa e repleta de felicidade.
Pág. 167
Ele amava. Nunca tinha sentido aquilo antes, aquela onda atordoante de emoção que lhe enchia a alma e o coração, o corpo e a mente.
Pág. 226

Tudo terminou num desfecho eletrizante, onde a autora fechou a trilogia com chave de ouro e pude confirmar porque ela é DIVA, já que esta foi a primeira dela que li de muitas que ainda lerei.
 
A capa segue o mesmo padrão das anteriores. Linda, cujo toque aveludado me lembrou das roseiras que cultivo em meu jardim. Gostei muito da diagramação, apesar de ter encontrado alguns erros de revisão, o que foi uma pena! A escrita é agradável e fluída.
 
O enredo é entremeado de aventura, mistério, revelações surpreendentes sobre os antepassados familiares, suspense aliado ao mistério sobrenatural com cenas de arrepiar os cabelos e, claro, muito romance em momentos idílicos – especialmente pra lá de calientes entre os protagonistas regada de morangos, champanhe e muito amor, que arrebatará os corações femininos –, ternos e extrovertidos, que garante algumas risadas.
 
Adorei o significado de cada flor, especialmente do lírio, e rever os casais dos livros anteriores, assim como o fato do amor que floresceu aos poucos entre Hayley e Harper, mesmo tudo conspirando contra.
 
A autora manteve o suspense desde o princípio, sem perder o fio condutor chegando a um ápice de arrepiar e que permeou alguns pesadelos à noite, especialmente numa cena no fundo do lago, objetos voando, que me lembraram dos filmes de terror que me assombravam na adolescência. [risos].
 
Foi uma leitura intensa e tão apaixonante quanto seus personagens. Além de Judith McNaught, Nora Roberts é capaz de criar dramas envolventes com os quais não tem como o leitor não se identificar em algumas situações e ficar enlevado ao longo da leitura, que é cativante e mágica. Melhor ainda, quando algum romance traz nas entrelinhas mensagem de esperança, fé e otimismo em meio às adversidades.

TRILOGIA DAS FLORES 
(In the Garden)

1. Dália Azul (Blue Dahlia) - Stella
2. Rosa Negra (Black Rose) - Rosalind
3. Lírio Vermelho (Red Lily) - Hayley


5 comentários:

  1. Eu também adorei a trilogia.
    Com certeza enfeitam lindamente minha estante com essas capas belíssimas e o que é melhor: com conteúdo!
    Beijos amore!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leninha.

      Concordo plenamente!
      As capas são maravilhosas, assim como a trama.
      Ansiando por mais livros dessa autora.
      Beijos.

      Excluir
  2. Eu amei esse livro, Carlinha!
    Foi o desfecho perfeito para uma trilogia maravilhosa! S2

    Bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Ba. Também amei e me apaixonei pelo Harper. Own. :)
      Nora é DIVA!
      Beijos.

      Excluir
  3. Oi Carla, infelizmente ainda não li esta trilogia, mas já estou com ela separada para leitura.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.