Clara como a Luz da Lua - Déborah Aviaras

CLARA COMO A LUZ DA LUA
DÉBORAH AVIARAS
Independente

JÁ A VENDA | AMAZON

Este foi o primeiro romance da autora Déborah Aviaras que tive o prazer de ler em e-book - comprei na Amazon - e me surpreendeu, porque nos ensina que, apesar dos tombos que a vida nos impõe, sempre levantamos cada vez que precisamos. Somos sobreviventes do nosso destino, assim como Clara Rinaldi, a protagonista de 22 anos, que ilumina a todos com seu otimismo e sua alegria contagiante de viver.

Só que, apesar de sua vida ser um desastre, tudo vira de pernas para o ar quando, por um acaso do destino, seu carro colide com o de Eduardo Costa.

— Clara Rinaldi, e o seu?
— Eduardo da Costa, muito prazer!
— Até poderia ter prazer em te conhecer, mas você foi o idiota que bateu no meu carro, não só no meu carro você acabou com a minha vida!

Ele era um empresário bem-sucedido, reservado, carinhoso e o homem que toda mulher anseia, ou seja, um príncipe. Porém totalmente o oposto de Clara.

Vi que ele era alto, cerca de um metro e noventa de altura, estava de terno, mas sem gravata. Era muito bonito, na verdade parecia um cara da televisão. Eu sabia que o demônio era bonito, por isso ele atrai as pessoas para o mal, por que se o cão fosse feio como pintam ninguém ia se sentir atraído.

Porém, Clara, com sua espontaneidade, irreverência, sarcasmo e determinação vira o mundo de Edu do avesso. Apesar de chocado com sua língua ferina, seu jeito avoado de ser e extrovertido, ele vai percebendo aos poucos a sua verdadeira personalidade e isso o deixa desconfortável.

Agora, se Clara vai dar uma chance ao que o destino colocou em seu caminho, isso são outros quinhentos, porque ela se fechou para o amor por ter sofrido muito na vida por causa de sua família, que era estável, mas que se desestruturou após a morte do seu pai.

É o triste fim de Clara Mãos de Tesoura, tanto me protegi desse sentimento! Agora, estou aqui sofrendo por alguém que nem sente nada por mim... Pensei que tivesse me treinado a vida toda para pensar antes de me envolver... Estou com os quatro pneus arriados e, o que é pior, o estepe também tá arriado.

Por isso, ela se utiliza dessa armadura pra se defender, tornando-se uma mulher de fibra e coragem. Como o Eduardo fala numa passagem do romance: “A Clara é como uma pedra preciosa em estado bruto...”. Tantos de nós, humanos, que somos assim e precisamos aprender a nos lapidar e, claro, sempre buscando o que é melhor pra nós. Me identifiquei muito nesse trechinho abaixo:

— (...). Coisas materiais não me encantam tanto, me encanto com atitudes legais e, você, me deu a melhor que eu já tive! (...). Gosto de ganhar é isso: atenção. Isso não quebra, não envelhece, não rasga, a gente guarda para sempre na memória.

Clara carrega uma essência que a torna encantadora, mesmo com sua língua ferina e tudo o que viveu, não deixou a alegria morrer e continuou seguindo em frente.

— Admiro você, a vida te deu um limão e você fez limonada, tem gente que não consegue fazer isso.
— Eu fiz a limonada, coloquei açúcar e tomei... A vida segue, não gosto de ser um muro de lamentações, vivo cada dia como se fosse o último, sabe? Aqui e agora. Se precisar, moro novamente no carro, feliz da vida. Tem gente que tem só o sol e a lua, mas é feliz. Escolhi ser feliz, com pouco, com o que eu tiver... A vida é como uma roda gigante: uma hora tá em cima, depois está em baixo. A gente tem é que apreciar a vista, simples assim.

Só que os dois não sabem o quanto têm em comum. Assim como ela, Edu que era responsável, justo e honesto também carrega coisas dolorosas do passado e por isso deixou de ser a pessoa que era, se tornando alguém focado no trabalho e sem dar atenção às coisas ao seu redor, deixando de ser uma pessoa feliz e de bem com a vida.

Clara nunca se apaixonou a ponto de deixar o relacionamento evoluir. Porém, chegou a um ponto de sua vida que não quer só sexo num relacionamento, porque percebe que namoro e amor envolve compromisso, responsabilidades, entrega total e não sabe se vai poder corresponder um dia a tudo isso com o ser amado. Ela sonha em conhecer alguém especial e constituir uma família.

E, pela primeira vez na vida, eu fiz amor com direito às borboletas no estômago, fogos de artifícios, sinos tocando. Eu vi o céu, as estrelas e a lua, e senti também um prazer indescritível.

Será que o destino queria mostrar como viver a vida sob uma nova perspectiva e quem sabe encontrar um novo amor? Os opostos se atraem, mas ambos estão dispostos a abrir mão de algumas coisas em busca da felicidade?

— (...). A senhora não entende que de todas as pessoas do mundo, ele é a única que me magoaria de um jeito muito doloroso. Sei que sou durona, mas ele tem o poder de me deixar com os pés fora do chão, isso é muito ruim para mim, porque não estou sabendo lidar com esse sentimento.

A capa refletiu a trama e tem algo relacionado à Clara.

O livro é narrado sob a perspectiva de Clara e Eduardo. A leitura fluiu de forma agradável e envolvente desde o princípio. Foi extremamente divertida onde os protagonistas vivem um torvelinho de emoções e sentimentos conflitantes no decorrer da história. O final foi previsível, claro, mas com reviravoltas, onde me envolvi, chorei, torci e me apaixonei. Não via a hora desses teimosos darem vazão aos seus verdadeiros sentimentos.

Há passagens românticas, humoradas e dramáticas. Se você é fã de chick-lit, vai se divertir desde a primeira página em uma escrita singela que tornará o seu dia mais otimista. Foi um romance delicioso e ótimo pra relaxar. Além do romance em si, é um livro tão atual, que traz também muitas lições nas entrelinhas. É um bálsamo para nos desanuviar dos momentos tensos do nosso cotidiano por algumas horas.

Se prepare porque, quando você menos esperar, vai chorar... de tanto rir (cuidado pra não pagar mico em lugares públicos!), particularmente numa cena na reta final. Com o humor irreverente e contagiante dessa mocinha que não leva desaforo pra casa e suspirando por um mocinho pra lá de encantador, eu garanto que vão passar bons momentos na companhia desses dois personagens que me cativaram à primeira vista.



2 comentários:

  1. O que dizer de uma resenha dessas?
    Quando escrevi esse livro eu não tinha pretensão nenhuma, era apenas para me divertir, testar a minha capacidade de inventar estórias, uma terapia talvez. Agora que está a venda em ebook e prestes a ter a versão impressa é que me dei conta que posso continuar fazendo isso, e com esse carinho em forma de resenha me mostra que estou mo caminho certo!
    Obrigada. por tudo!

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Não conhecia esse livro, mas sua resenha me deixou absolutamente encantada!
    Já coloquei na minha lista de leituras, e espero que a autora consiga uma editora para publicá-la, o livro parece incrível! :)
    Beijos
    http://addictionforbooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.