A Besta dos Mil Anos - Ilmar Penna Marinho Junior

A BESTA DOS MIL ANOS
ILMAR PENNA MARINHO JUNIOR
Novo Século

Em uma postagem recente, vocês ficaram sabendo da grande novidade sobre a mais nova parceria nacional, onde recebi esse livro autografado do autor Ilmar Penna Marinho Junior, que é muito gentil.

Concluí a leitura no começo do mês, mas vocês viram apenas uma prévia do que senti lendo-o. (Se você não viu, clique aqui!). Finalmente, chegou o dia de falar sobre "A Besta dos Mil Anos", através desta singela resenha, já que o tempo deu uma folguinha. (risos).

Li-o em um momento que queria diversificar um pouco dos temas que ando lendo atualmente e tive uma grata surpresa, porque apreciei cada momento da leitura.

Na França, o renomado historiador e curador Ferdinand Rochemont de Sailly, auxiliado pelo padre Antoine Duvert, palestram sobre uma tapeçaria inspirada no Apocalipse, o último livro do Evangelho, que está exposta no Castelo de Angers, uma fortaleza militar construída por Blanche de Castille, uma guerreira, que atualmente abriga a Tapeçaria do Apocalipse e o Museu de Armas Medievais, que reúne uma coleção completa de bestas de guerra francesa.

Depois que a tapeçaria sofreu um sacrilégio, ela foi retalhada e posta à venda, porque durante a Revolução Francesa, os objetos sacros foram destruídos. No caso da tapeçaria, as peças foram milagorsamente reagrupadas e conservadas, já que estava num estado deplorável e conservá-la tornou-se um estorvo. Com a restauração, foram recuperadas seis peças que contém quatorze quadros cada uma e diversas cenas. Eles têm uma grande fé de recuperar um quadro perdido, que traz esperanças de um mundo sem miséria e violência.

(...). Reconhecia como legítima e saudável a ambição do curador do castelo em recuperar pelo menos um dos sete quadros perdidos da sequência da Revelação Divina; em especial, a recuperação a qualquer preço da cena desconhecida do Diabo enjaulado por mil anos. Na verdade, temia que esse quadro desaparecido significasse que o dragão de sete cabeças estivesse solto e fosse o grande responsável pela atual desordem no mundo. Onde estivesse, estaria semeando a discórdia, incentivando a aids, a pedofilia, o aborto e a clonagem humana, instigando a violência, a ganância e a corrupção. Tudo indicava que os homens teriam perdido a batalha do bem contra o mal. (...).

Pág. 14

E, durante a investigação do sumiço da cena 75, que faz parte da sétima peça que falta para completar o quadro, que traz a Besta aprisionada por mil anos, uma busca faz com que a vida de diversos personagens entrelacem-se entre si, entre eles:

Casado com Ana, tem um filho que torna-se seu aliado, Leonardo Marcondes, cujos pensamentos sempre foram turvados por datas, mortes, cifras que contabilizavam angústias e temores, acabou sendo enfeitiçado pela misteriosa astróloga Lisa. Ele terá que romper barreiras para conseguir o que deseja, porque teve um grande baque na vida ao perder um ente querido e rebelou-se contra o mundo. Há uma grande reviravolta no seu destino. Voltado para as raízes familiares, ambicioso e calculista, usará de todos os subterfúgios para atingir seus objetivos.

Ao fazer um estudo do mapa astral de Leo, que fervilha morte e cobiça, Lisa viu que ele era um homem que traria grandes mudanças em sua vida, porque ele tinha uma vida dupla e sombria.

- Muitas coisas boas e promissoras estão para acontecer. Posso estar errada, (...), você tem tudo para se tornar um grande chefe. (...). Vai pagar um preço que só você sabe dizer se é alto ou justo. (...).

Pág. 20
- É como se fosse uma sombra, alguém com quem vai fazer um pacto. Terá muito dinheiro, muito mais do que imagina. (...). Esta sombra está associada a uma conjuntura de muitas surpresas. Ela o obrigará a viver daqui por diante no fio da navalha. (...).

Pág. 22

Aparentemente, era um contador, sendo que sempre viveu confortavelmente, porque pertencia à classe média alta, já que era mimado e frequentava bons colégios. Largou o escritório de advocacia imposto pelo pai e dedicou-se como contador, onde passou a trabalhar para a escória da sociedade e passou a viver no fio da navalha. Ninguém nunca desconfiou de suas falcatruas, pois seus segredos eram muito bem guardados, inclusive sua esposa, que era de uma família tradicional e política.

Ana era uma esposa devotada e compassiva por um homem, cujo sofrimento a vida impôs tornando-o revoltado, já que antigamente ele era previsível e confiável. Nunca desconfiou das amizades malfazejas e nem das "forças ocultas" (esse foi um dos momentos que me deixaram apreensiva e aterrorizada, porque tenho muito medo) que enfeitiçaram seu marido fazendo com que ele ficasse ainda mais ganancioso e vingativo, porque sempre confiou nele. Com o tempo reconhece essa mudança repentina, porque deixara de ser o marido de sempre ficando tenso e cheio de segredos e manias, ficando cada vez mais evasivo tornando a relação conflituosa.

(...). E Ana tinha ainda de enfrentar, solitária, os prolongados silêncios das palavras não ditas de um marido interligado a algum outro ponto do planeta, sem tomar conhecimento do fio terra conectado à sua casa, que vivia invadida por vozes estranhas.

Pág. 33

Depois de muitas mágoas reprimidas, decidiu tomar uma decisão. Que decisão foi essa? Será que ela desvendou a verdade sobre o marido? Garanto a vocês que fiquei chocada com o ocorrido. Foi surpreendente!

- (...), mas a sua mensagem. A cena mostraria a insistência e a sobrevivência da fé. (...), se a cena da tapeçaria anda pelo mundo, com o diabo à solta, explica-se tanta criminalidade, violência, luxúria, perversão e pornografia, e o pior é que não deve deixar de ter seus adoradores por toda a Terra...

Pág. 40

Outro personagem em destaque no livro é o
sobrinho do padre Antoine Duvert, Aurélien, policial, arqueiro, bibliotecário e pesquisador. Foi obrigado a seguir os passos do pai, que era militar, o que acabou sendo um fardo por não ter residência fixa. Incentivado e motivado pelo avô, começou a pesquisar livros raros que, até então, sempre viveu angustiado em busca da sua verdadeira vocação.

Aurélien ganhava, aos poucos, em seu íntimo, uma crescente consciência de que a vida é uma viagem cheia de mistérios e surpresas, ligados à grande aventura de estar no mundo, (...).

Pág. 63

O quadro do diabo aprisionado foi visto no Brasil e, com isso, Aurélien é designado pelo governo francês em sua busca, compra e restauração, que está sendo financiada pelo Ministério da Cultura, mas para isso tem que provar se o quadro é autêntico.

A adorável Júlia, filha de um botânico belga, sempre foi fã de fotos e livros de aventura, cresceu em meio à natureza e aos livros. Herdou do pai a curiosidade por mistérios que aguçou-se ainda mais com as aventuras de Tintin. (Assim como Júlia, sou aficcionada por livros e esse desenho era minha grande paixão na infância e adolescência. Adorava assistir às aventuras de Tintin, com seu cãozinho fiel Milu e o Capitão Haddock. Saudades daqueles tempos!). O grande sonho de Júlia era ser jornalista no Rio de Janeiro e de encontrar um grande amor. Tinha uma capacidade inata de lidar com serviços administrativos e comerciais da pousada, mas era uma péssima cozinheira. Seus pais tinham uma linda história de amor. Foi um dos momentos mais emocionantes do livro.

- Só espero que encontre alguém que te faça rainha.
- Neste fim de mundo, mãe? Nem por milagre!
- Não é o lugar que importa. É o traço do destino que está escrito nas mãos e nas estrelas. Você vai acabar achando, onde ele estiver, minha filha. Tenha fé nisso!

Pág. 52
- (...). Mas, aqui, não tenho futuro, mãe. Quero fazer faculdade. Trabalhar num jornal. Ter minha vida de mulher. (...). Não aguento mais ouvir as histórias dos outros. Quero escrever a minha história.

Pág. 53
Não foi fácil para Júlia partir de Mauá. Deixar para trás a infância de bonecas de pano, de bichos e matos, a adolescência de muitos livros, recordações de fases risonhas, felizes, saltitantes no jardim florido da pousada. Deixar de contar com a companhia do pai que a incentivou a conhecer o mundo. (...).

Pág. 55

Complexada, Júlia dedica-se de corpo e alma ao trabalho, até que um dia seu chefe pede que faça uma reportagem sobre o grau de violência na Rocinha e as relações dos moradores com os traficantes.

Depois de um incêndio criminoso numa ONG, as vidas de Leonardo, Júlia e Aurélien nunca mais serão as mesmas e, só posso adiantar, que a tapeçaria está ligada a todos esses eventos, cuja reviravolta na história é surpreendente!

Quem sairá vitorioso na busca do quadro perdido? Leonardo, Aurélien ou Júlia? Isso você só saberá lendo o livro, é claro, e garanto que fiquei boquiaberta com o final surpreendente! (risos).

O livro mostra todas as fases do Brasil, quando este faliu com o Plano Cruzado, fala sobre a violência e o crime organizado, a favela da Rocinha.

(...), um dos principais motivos para o crime organizado ter nascido, se expandido e atingido o atual estado de violência, seria (...): o crescimento incontrolável das cidades.

Pág. 76
- Um mundo de calamidades em que a servidão se intensificou, os fracos foram oprimidos, os pobres foram renegados, as crianças foram manipuladas e os velhos abandonados. Tudo está representado nas cenas das florestas desaparecendo, dos cursos d'água se putrefazendo, das doenças se proliferando, dos valores da existência jogados por terra e dos jovens se desesperando e se suicidando. Dá para se imaginar nações destruídas por bandidos com armas demoníacas.

Pág. 104
- (...). O dinheiro encarado como fonte de desgraça do homem - interveio o curador - (...). É a violenta necessidade de poder e de supremacia dos homens que pensam que quem possui dinheiro tem tudo na vida.

Pág. 105
(...). Nesses anos todos de guerras fratricidas nos morros, em que as pessoas sobreviviam no meio daquela situação de mortes, prisões, balas perdidas, a Besta da Terra com suas sete cabeças andava solta. O poder do dinheiro continuava movendo a imensa máquina dos negócios ilícitos.

Pág. 121

Esse livro maravilhoso, surpreendeu-me muito!

A história - apesar de ter como pano de fundo um tema polêmico, que é a realidade brasileira nua e crua nas grandes metrópoles -, é um thriller policial dramático, eletrizante e envolvente desde o início. Tem todos os ingredientes que adoramos em livros de mistério e muito mais: amor, romance, paixão, ódio, vingança, religiosidade, fatos e artefatos históricos, muita ação e adrenalina, além do suspense em si envolvendo ecologia, astrologia, maldições, dinheiro, violência, ganância e corrupção. Alguns momentos chegaram a ser comoventes e, ao mesmo tempo, tensos, através dos grandes males que atualmente afligem a humanidade.


Uma história, cujo enredo se passa na França e no Brasil, repleta de reviravoltas e ressalto que impressionei-me com algumas cenas violentas, porque sou muito impressionável, já que não gosto dessas coisas que vemos diariamente, mas temos que encarar a realidade dos dias de hoje.

Ambientada em cenários como Angers, Visconde de Mauá, Rio de Janeiro, Nova York e Paris, esta “corrida do ouro” pela conquista da cena 75 serve de mote para Ilmar Penna Marinho Jr. elaborar seu primeiro thriller, com trechos recheados de ação, mortes e reviravoltas nos destinos das personagens, compondo assim um painel do mundo contemporâneo – para não dizer globalizado – e suas chagas como corrupção, terrorismo e tráfico de drogas e de armas.

Trechinho do release.


No decorrer da leitura, percebi que algumas coisas ficaram em aberto. Questionando o autor se "A Besta dos Mil Anos" fará parte de uma série ou se ele dará continuidade à história, este me respondeu:

"Quanto ao day after do thriller, em principio, não pretendo escrever nenhuma série. Mas quanto à continuação, ainda não tomei uma decisão definitiva. A questão continua em aberto. (...)."

O autor deixou uma belíssima mensagem que reflete a realidade da literatura nacional e não podia deixar de citar aqui:

"(...) sou um escritor brasileiro, do qual muito me orgulho. Um escritor que, como todos que escrevem no Brasil, são vitimados pelo preconceito de que não sabem escrever um livro de suspense e de ação. Como todos os escritores brasileiros que são massacrados pela divulgação e propaganda milionárias dos livros estrangeiros, além de uma distribuição escandalosamente discriminatória para inibir a leitura do escritor nacional. Felizmente, as coisas estão mudando, graças a blogs honestos e de qualidade da Blogosfera, (...), mantendo viva a esperança de dias melhores para o escritor brasileiro."

Ilmar Penna Marinho Junior
Desde a infância leio livros nacionais, por isso sempre acreditei na literatura brasileira e apoio integralmente todos os nossos escritores através do meu blog.

Concordo com você, Ilmar, e acho que, para a barreira do preconceito ser vencida, não falta nada.

Acho que o preconceito é muito maior por parte das editoras, que investem pouquíssimo em autores nacionais, do que por parte do leitor. Salientando que, quando falo em investimento, não estou falando apenas da publicação de livros de autores nacionais, mas, também, de investimento no autor, de divulgação, de marketing. Do contrário, não vinga. É preciso investir mais na literatura e no autor nacional. Veja quantos bons escritores surgiram recentemente e que “penaram” muito, mas muito mesmo, para verem seus trabalhos editados. A realidade é que a maioria teve de pagar a primeira edição do próprio bolso.

Por isso, acho que as editoras tem que engajar mais na literatura nacional, dando a chance de nossos autores mostrarem todo o seu potencial, porque talento e criatividade eles tem!

Aos leitores, deem uma chance e garanto que vocês vão se surpreender, já que muitos dos livros nacionais que li não perde em nada comparado a muitos livros consagrados no exterior tanto no quesito criatividade quanto na qualidade em si.

Isso me enche de orgulho, por ver que nossos autores estão sobressaindo-se cada vez mais com histórias maravilhosas através dos livros que tenho lido ultimamente e quero parabenizá-los por isso.

É uma pena que muitos não saibam valorizar a nossa literatura.

Só para concluir, quero agradecer muitíssimo ao autor, porque através de "A Besta dos Mil Anos" trouxe-me momentos maravilhosos! Obrigada por ter concedido-me a honra de conhecer essa obra imperdível, preferencialmente nacional, que proporcionou-me uma leitura profundamente envolvente, instigante e emocionante!

Por isso, este livro nacional está mais do que recomendado!

O AUTOR

ILMAR PENNA MARINHO JUNIOR

Natural do Rio de Janeiro. Passou a infância e adolescência na Europa, onde aprendeu a apreciar a cultura francesa.

Jornalista, formou-se em Direito pela PUC-Rio e diplomou-se em Master of Comparative Law pela Georgetown University, Washington, DC. Foi Secretário de Administração no Rio de Janeiro e Diretor da NUCLEBRAS. Exerceu relevantes funções de confiança na PETROBRAS. Tem quatro livros publicados.

Hoje, dedica-se à literatura, às pesquisas históricas e às viagens.

Para saber mais sobre o autor e suas obras:

No Site Oficial: http://www.abestados1000anos.com.br/
No Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/140999
No Twitter: @bestadosmilanos


15 comentários:

  1. Olá, Carla!
    O livro parece mesmo incrível! ótima resenha!
    Bjus,
    Náh

    ResponderExcluir
  2. Oba o meu tá chegando para ler!!! Adorei a resenha!!!

    http://conversandocomdragoes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Nossa amiga, vc se entregou literalmente ao livro.
    Dá pra sentir o tamanho da sua empolgação ao ler o livro.
    Adorei sua resenha, realmente perfeita, dá pra sentir tudo que esperar com a leitura do livro.
    Parabéns, amei cada linha!
    E parabéns ao autor pela obra!
    beijão!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, Carlinha! Suas resenhas são ótimas, e elas sempre trazem o melhor do livro!

    Pelas suas palavras, percebe-se que você se emocionou com o livro, e a recomendação está mais que anotada.

    Parabéns para o autor por essa belíssima obra!

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Oinnnn fiquei apaixonada pela resenha.
    Adorei :-)

    Bjssss

    ResponderExcluir
  6. Nossa, você me deixou empolgada!
    Lá vai mais um pra pilha de livros que eu quero comprar!
    Adorei a resenha!

    ResponderExcluir
  7. Tenho um certo receio com livros com temas fortes. Pra mim basta encarar a realidade dos dias de hoje. Mesmo assim, não tenho como não elogiar a sua resenha, ficou maravilhosa.

    Beijos& Abraços
    Blog ღ ♥ Apaixonada Por Romances

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pelo seu ótimo comentario, conseguiu entrar na essência do livro que foi cuidadosamente elaborado nos mínimos detalhes. O mapa do Leonardo poderá ser estudado por quem entende de Astrologia e será comprovado que e o do perfil do personagem. As descrições das paisagens correspondem com a realidade porque o autor pesquisou durante as suas viagens. Finalmente a estória e a realidade dos tempos atuais.
    Atenciosamente Solange Maria, companheira e revisora implacável.
    Obrigada pela excelente resenha.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Náh.

    O livro é sensacional! Se você gosta de emoção, suspense e romance, tem tudo na medida certa.

    Obrigada pelo carinho.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Kate, Leninha, Carla e Luka (Quem Lê faz seu Filme) e Barbara.

    Meninas, tudo o que transmiti na resenha foi exatamente a emoção que senti lendo-o. Por isso, me empolguei tanto. (risos).

    Fico muito feliz por vocês terem apreciado e, ao mesmo tempo, por ter instigado a curiosidade de vocês.

    Obrigada pelo carinho.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Oi, Lulu.

    Assim como você, também tenho receio, mas encaro de frente a leitura, o que acaba sendo um desafio e no final torna-se surpreendente e, muitas vezes, acaba sendo o meu livro favorito.

    Obrigada pelo carinho.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Solange Maria.

    Que prazer ter você por aqui!

    Fiquei muito feliz em saber que você apreciou minha singela resenha! Agradeço sua gentileza!

    Torço muito, para que o livro 'A Besta dos Mil Anos' seja um sucesso.

    E desejo que todos possam partilhar dessa emoção ao ler essa história tão fascinante e, ao mesmo tempo, tão atual!

    Pode contar sempre com o meu apoio para qualquer promoção ou divulgação do livro no meu blog!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Olá Carla Fernanda!
    Que bom estar aqui nos Comentários sobre o meu livro para agradecer sua ÓTIMA Resenha que recebeu os comentários merecidamente elogiosos das amigas blogueiras.
    Agradeço a Náh, a Kate, a Leninha, a Carla, a Bárbara, a quemfazfilme, a Lulu sempre romântica, a Solange Maria as palavras de incentivo à leitura do meu livro A BESTA DOS MIL ANOS. A curiosidade é a alma da futura leitura...
    Agradeço, muito emocionado e gratificado, a leitura da Carla Fernanda que soube, como ninguém, captar a dramaticidade da obra e transmitir na sua resenha a envolvente historia milenar da Tapeçaria do Apocalipse e o diabólico enredo de suspense e ação do romance contemporâneo.
    Realmente ela se superou na arte de resenhar, pois de todas as resenhas que eu li sobre o meu livro foi a mais completa e o que mais me surpreendeu foi o seu talento em fazer uma resenha que entrasse no coração do livro e no reverso da tapeçaria, onde percebeu que as cores são mais vibrantes.
    Para um escritor brasileiro, tão abandonado à sua própria sorte, é um privilégio ter sido agraciado com uma leitura tão inteligente e uma resenha tão bien réussi, como dizem os angevinos do país do Loire.
    Todos nós estamos de PARABÉNS por sermos amigos da Carla Fernanda e por termos a felicidade de poder visitar o blog Sonho de Reflexão, tecido com fios de muito labor, carinho e dedicação. Daí o seu grande sucesso e respeitabilidade.
    Com certeza, ela merece todos os nossos elogios pela Resenha e pelo seu blog.
    Abraço a todos
    Ilmar Penna Marinho Junior

    ResponderExcluir
  14. Oi, Ilmar.

    Seja bem-vindo!

    Fiquei muito feliz em saber que você apreciou a minha singela resenha!

    Como também muito me alegra em saber da repercussão que esta teve e que contribuí de alguma forma na divulgação do seu livro.

    Os leitores ficaram instigados e curiosos a respeito do livro e, como não podia deixar de ser, estou indicando-o a vários amigos.

    Agradeço a gentileza e o carinho de todos os seus amigos e familiares! Suas palavras tiveram o dom de emocionar-me. Mais uma vez, muito obrigada!

    Do fundo do meu coração, torço muito para que o livro "A Besta dos Mil Anos" seja um sucesso, porque sei do trabalho árduo do escritor nacional para ter um livro publicado no país.

    E desejo que todos possam partilhar dessa emoção ao ler essa história tão fascinante e, ao mesmo tempo, tão atual!

    Pode contar sempre com o meu apoio para qualquer promoção ou divulgação do livro no meu blog!

    Tenha uma boa semana.

    Atenciosamente,

    Carla.

    ResponderExcluir
  15. Uau! Estou impressionada até com o ritmo da resenha e também pela história se passar, em partes, no Brasil. Acho realmente incrível que a literatura brasileira esteja dando mais um pequeno salto, especialmente pelos blog, assim como aconteceu aqui com "A besta dos mil anos"...
    Bom, eu gostei de tudo que o livro relaciona desde religiosidade até realidade e também fatos históricos que sempre trazem um grande mistério (que eu adoro!).
    Fiquei curiosa para saber os pontos 'cruciais' do livro e principalmente, qual dos personagens consegue ficar com um pedaço da tapeçaria!
    Bela resenha e ótimas palavras do autor!

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.