Agridoce :. Simone O. Marques

AGRIDOCE
SIMONE O. MARQUES
Spectrum Terror

Primeiramente, quero dizer que ganhei esse livro autografado, em parceria, com a autora brasileira Simone O. Marques. Para quem ainda não sabe, Spectrum Terror, é um selo da Editora Multifoco.

A princípio, fiquei meio receosa com a capa, pelo fato de ser meio sinistra e porque não entendia o significado desse corpo esbelto na frente do rosto, mas depois que entendi realmente, caiu como uma luva em relação à história, o que ficou perfeito!

Esse livro nacional surpreendeu-me muito da primeira a última página. Já li diversos livros desse gênero, mas até o momento nenhum arrebatou-me de tal forma como Agridoce, porque foi uma leitura intensa, cheia de mistério, romance, terror, sempre presentes nos filmes, seriados médicos e investigativos, e livros nos quais estamos acostumadas a ler, mas junta todos esses ingredientes aliados ao sobrenatural como minha amiga Barbara, do In Death, sempre diz que livro de vampiro tem que ter os três "S" (sangue, suor e sexo) e a autora Simone O. Marques não deixou por menos ao abranger esses três ingredientes e muito mais nesse livro, o que acabou arrebatando-me e envolvendo-me de tal maneira na leitura, que fiquei ávida para saber o que iria acontecer no capítulo seguinte. Melhor ainda que a história não tinha nenhum clichê e é nacional! Fico muito feliz em saber que nossos escritores estão sobressaindo-se cada vez mais no meio literário e, quem agradece, somos nós leitores! E, acreditem, foi em "Agridoce" que li pela primeira vez sobre os "escravos de sangue", porque até então desconhecia totalmente. Só fui ler sobre esse assunto novamente com "A Irmandade da Adaga Negra", mas garanto que as duas séries são excelentes! Bem, chega de divagações... vamos falar sobre a história de "Agridoce". (risos).

Anya é uma jovem solitária, não curte baladas e tem poucos amigos, estudante de gastronomia, expert em todos os aromas e temperos, e que mora em Florianópolis juntamente com o pai adorável e superprotetor. Aos vinte anos, é tímida, recatada, super inteligente e dedicada aos estudos, mas sabia que era diferente pelas limitações que a própria vida impusera pelo fato de ter alguns problemas de saúde, que a impedia de sair de casa. Vivia deprimida por não poder sair no sol, porque era alérgica aos raios UV, que herdou de sua mãe.

Certa noite, ao passear pela praia, um aroma chama a sua atenção e a atrai terrivelmente, porque ela tinha um olfato sensível. Era um perfume, uma mistura de fragrâncias que mexe com todos os seus sentidos. Na noite seguinte, ela se vê perseguida pelo mesmo aroma e descobre que ele vem do corpo maravilhoso de um jovem que sai do mar. Recatada, tímida, seu corpo impulsiona-a na direção daquele belo banhista, cujo perfume fazia seu corpo vibrar. Cedendo ao impulso, que é maior do que a vergonha ou a razão, Anya vai até ele e o beija no peito e no pescoço. Surpreendendo-o, ela o lambe e encosta o nariz em sua pele.

Atormentada pelo aroma, ela precisa experimentar, então alcança seu pescoço e o morde numa veia pulsante até sentir que a pele rasgava sob os seus dentes.

Estava ali o sabor que tanto procurava, o doce sangue que a fez pensar em frutas flambadas, temperado com o sal da água do mar, a perfeição... o sabor agridoce...

Pág. 13

Anya descobre o prazer de degustar o sangue doce, o sabor agridoce que a desperta para uma necessidade vital que fará parte de sua vida a partir de então: a necessidade de sangue.

Até que ela acorda e percebe que está no hospital completamente confusa, porque se afogou na praia. Sente a garganta queimando, o sangue fluindo com dificuldade e enjoada com os aromas e além disso não recorda-se de ter estado na praia e, ao mesmo tempo começa a sentir todos os aromas possíveis e acha que está enlouquecendo.

Dr. Dante, que trabalhava na emergência de dois hospitais, examina-a e constata que ela está febril, mas seu corpo não está quente, seus olhos castanhos, claros e límpidos, queriam controlá-lo e hipnotizá-lo. Nisso, uma sensação estranha apoderou-se dele, sentindo que suas vontades estavam sendo subjugadas, além de sentir desejo. Seu sangue era quase rosa e seu pai preocupava-se. Mas Dante, que foi um aluno exemplar, era um médico responsável e competente. Nunca foi de especulação absurda e infundada. Sua frequência cardíaca estava abaixo do normal e isso era estranho ainda mais com a temperatura do corpo elevada.

(...). Estaria morrendo? Estaria com algum tipo de câncer? Como poderia deixar seu pai sozinho? Não conseguiria terminar a faculdade? (...).

Pág. 23

Até que um dia, o prontuário e os registros hospitalares de Anya somem sem a menor explicação e ele apavora-se porque não lhe deu alta.

(...). Precisava que alguém dissesse que não estava louco! Precisava que alguém dissesse ter visto Anya naquela merda de hospital!

Pág. 32

Aos 18 anos, Léo, irmão de Dante, estudava cinema e tinha pinta de ser surfista. Extrovertido, inteligente, dedicado e capaz, ficou preocupado pelo modo que o irmão estava vivendo.

Enquanto isso no hospital, o Dr. Dante se pergunta sobre o que estaria havendo, porque aparece, através de um novo paciente, outra impossibilidade clínica, já que percebeu que um dos machucados tem uma mordida, que é um fato surreal. E ele começa a ligar os fatos e um deles intriga-o: as pupilas dilatadas e as irises vermelhas e o globo ocular límpido, como também muitos tinham comportamentos estranhos, aumento de energia e confusão mental, além de ficarem agressivos e irritados.

(...), mas havia duas marcas fundas que pareciam pertencer a dentes caninos... Analisou bom um bom tempo, elaborando teorias (...). Mas era médico e tinha que buscar a causa patológica do estado daquele rapaz. (...). Não havia traços de droga no sangue, nem de algum veneno... Mas com certeza, alguém meteu a boca no braço do rapaz com força, e parecia ter... sugado o sangue do ferimento! - (...). É, definitivamente tinha enlouquecido.

Pág. 54

Por isso, Anya se transformara em um grande mistério e estava deixando-o louco, ainda mais quando começam a aparecer vários casos estranhos, entre eles: Renato Cordeiro, com um ferimento estranho no braço e uma anemia profunda; Daniel Martins, socorrido em uma lanchonete, com sintomas estranhos, pupilas vermelhas, que dissera o nome de Anya ligados a palavra como morte e fugira do hospital para encontrar-se com ela...

Edgar e Ivan culpam-se por um fato ocorrido há muitos anos atrás, enquanto Rita não perdoa o genro -, que era superprotetor e lecionava sociologia na faculdade que sua neta estudava -, pela morte da filha, Bete.

Os três vão unir suas forças para ajudar Anya a enfrentar essa nova vida, porque sua mãe despertou uma necessidade especial depois do seu nascimento.

Enquanto isso, Anya não entende como veio parar em casa e todos usam as desculpas mais esfarrapadas, enquanto Edgar culpa Rafael pelo acontecido com Bete, porque ele encantou-se tanto por ela que não preparou-a para o que viria, mas estava disposto a não falhar dessa vez.

Anya fica perplexa quando descobre que sua mãe tinha hematofagia. Em "Agridoce", vemos que quando uma pessoa desperta, o antagonista ou caçador além do escravo e do protetor acabam despertando juntamente com ela. Nenhum despertado é igual o outro, a não ser pela hematofagia. Os escravos despertam junto com os vampiros com o intuito de servir, alimentar e proteger, apresentam alguns dons especiais e o seu sangue é o que há de mais atraente ao portador. Já o protetor tem o dom do controle, tem algo na voz que comanda as ações vampíricas e tem o mensageiro, cujas missões são interligadas, suas identidades são sigilosas, para manter os caçadores afastados. Ele é um estrategista que descobre a maior sensibilidade do portador e o atrai para o seu despertar. Alguns portadores desenvolvem sentidos motores e seus cinco sentidos ficam aguçados. Precisam de energia do sangue, e o melhor é o do Escravo, mas podem se alimentar como um ser humano. Não são imortais. Alguns podem até sair ao sol, mas podem sofrer queimaduras horríveis. Enfim, há muitas variações genéticas que vocês verão no decorrer da leitura, que achei bem interessante!

(...) - De repente ela precisa saber de tudo aquilo, precisava compreender o que havia herdado e como poderia lidar com aquilo. Precisava saber por que os três se acusavam de ter falhado com sua mãe! Precisava saber se havia alguma esperança para ela! Aquilo definitivamente era um pesadelo e ela estava no meio dele e não sabia como sair. Queria se mostrar forte, (...).

Pág. 88

Rita era uma mulher rica, esnobe, que sempre teve o que quis na vida. Enviuvara ainda jovem e Bete, sua filha, que era frágil e delicada, sempre foi tratada como um tesouro. Rita só não contava que ela fosse se apaixonar pelo pobretão estudante de sociologia, mas dessa união veio Anya, que era sua única fonte de carinho e afeição. Por isso Rita, nunca aceitou o casamento, mas amava Anya. Quando Anya completou um ano de idade, Bete teve problemas de saúde onde ficou depressiva e um distúrbio emocional acabou desencadeando isso, porque era sensível e detectava a emoção das pessoas, onde sentia medo, dor e angústia. Com isso foi definhando.

Edgar, seu pai, era maravilhoso. Sempre cuidadoso, carinhoso, presente. A melhor companhia que ela poderia ter tido em sua infância e adolescência, embora isso a impediu de arrumar algum namorado. Durante o dia, não saía de casa; e à noite, estudava.

(...). Aquela loucura que sentira quando sentiu aquele aroma agridoce. (...). Havia tentado reproduzir em sua cozinha aquele perfume, mas não era aquilo. Era aquele homem... ele era lindo, tinha aqueles olhos verdes intensos, aquele corpo maravilhoso e aquele gosto... Sua boca se encheu de água só de se lembrar do gosto dele.

Pág. 111

Depois desse evento, Anya tenta levar uma vida normal, mas tentam impedir a todo custo. Por outro lado, Dante decide livrar-se de sua loucura desde que atendera Anya no hospital.

De um lado Dante, do outro Daniel que sentiram algo inexplicável quando viram-na pela primeira vez e sentiam-se atraídos para ela como uma força sobrenatural.

(...). Dante não sabia por que, mas se sentiu intimidado, queria se aproximar de Anya, mas não reuniu coragem suficiente! Fora tão longe e agora que poderia esclarecer tudo... simplesmente se acovardava! (...) e seu sangue esquentou e pareceu entrar em ebulição. (...). Daniel (...). Meu Deus! Ele precisava daquela mulher! Todo seu sangue pulsava agitado nas veias, como se elas fossem capazes de explodir. O cheiro dela, a pele... algo o havia imantado ali. (...).

Pág. 131

Ivan olhava para Daniel e viu algo familiar em seus olhos, que ele não tinha medo dele, não se importava com a dor e com mais nada... a não ser...

Já não comprovou o que queria? Que não está louco? Que ela realmente existe!

Pág. 134
- (...). Já tinha "cantado" tantos tipos de mulheres! Já havia conquistado inúmeras! Mas se sentia um garoto diante de seu primeiro amor, ou seja, um total idiota sem saber o que falar.

Pág. 140

Essa foi a melhor parte do livro, porque adorei o fato do personagem ser extrovertido, além de englobar todos os temas que amo nos gêneros sobrenaturais, ainda tem chocolate!!! Ui... perdição total! Ruim demais, né? (risos).

(...) e dera de cara com aquele homem que tinha o cheiro de algo que ela gostava muito: chocolate!

Pág. 141
Meu Deus! Que voz macia era aquela! (...). A voz dele acariciava sua pele e aquele cheiro de chocolate...

Pág. 143
(...). Aqueles lábios macios que se movimentavam com avidez e desejo... (...).

Pág. 144
(...). Que homem era aquele, afinal? Por que se sentia envergonhada em dar-lhe um beijo depois do que acabara de fazer? Aquilo era ridículo!

Pág. 146

Até que Rafael sente que o antagonista está bem próximo e fazem de tudo para protegê-la, porque está correndo perigo e isso é um grande desafio para mantê-la em segurança e privá-la de viver sua juventude trancafiada e oprimida.

- (...). Eu não sou criança! Vocês dois estão decidindo sobre minha vida como se eu não estivesse aqui e não fosse uma mulher adulta! (...). Eu não sei o que houve entre vocês no passado e também não me interessa se querem ou não se acertar ou continuar se culpando. Mas eu não sou uma incapaz! Tomo minhas próprias decisões! (...).

Pág. 173

E, para piorar ainda mais, há um grupo de caçadores de vampiros formada por aqueles que sentiram prazer em sua missão juntando suas experiências que facilitaram o trabalho dos antagonistas.

(...). Ter um homem como ele ao seu lado o tempo todo? Com aquela voz mansa e sensual que a deixava tonta? E como seu pai reagiria àquilo? (...). E ainda havia o tal caçador. (...). Não queria pensar que uma pessoa faria de seu objetivo de vida matá-la, aquilo deve ser terrível! (...) Seria capaz de matar alguém? (...).

Pág. 224

No decorrer da leitura, há muitas cenas românticas e sensuais.

O beijo a pegou de surpresa. Era quente, ávido e possessivo, o que a deixou totalmente atordoada, (...).

Pág. 235

Além de Anya e sua família, adorei diversos personagens, entre eles:

- Ivan: Amigo da família de Anya. Aos 37 anos, é um negro enorme, de cabeça raspada com várias cicatrizes, com um sorriso franco e os braços tatuados. Nunca casou-se, porque ninguém compreenderia o seu dom.
- Rafael: Tutor de Anya, é um homem de 30 anos, de cabelos escuros e olhos azuis, com postura elegante, sensual, fala mansa e sedutora.
- Daniel: Formado em Administração, sem trabalho registrado. Extrovertido, adorava malhar e era um exímio conquistador.
- Dante: O médico.
- Léo: irmão do Dr. Dante.

Será que eles vão conseguir proteger Anya de todos os perigos que estão à espreita?!

Só posso dizer, que amei esse livro, que é repleto de suspense, mistério, adrenalina, romance, ação, sangue, suor, mordidas, vampiros e todos os ingredientes aliados ao sobrenatural, além de muitos aromas, é claro! E, anseio por muito mais, depois que fiquei arrepiada com o final da história surpreendente e percebi que a autora deixou algumas questões em aberto.

E, para minha alegria, "Agridoce" será uma série que, inicialmente, será composta por quatro livros.

Segundo a autora informou-me, o próximo livro já está na fase final e chamará-se "Cítrico" e deu apenas uma prévia do que vem por aí:

"Bem, posso adiantar que a história vai esquentar bastante. Teremos algumas atividades maiores do grupo de anarquistas e dos caçadores. O livro vai estar com esse gosto cítrico sabe? Aquela sensação na boca que faz arrepiar? hehe"

Vamos torcer para que os outros livros saiam logo. E tenho certeza de que farão muito sucesso, porque a Simone O. Marques tem um talento nato para escrever, porque suas histórias tem o dom de envolver-nos a cada página, o que não foi diferente com "Agridoce" que li devorando todas as 378 páginas em um só fôlego!

Por isso, recomendo!

A AUTORA

SIMONE O. MARQUES

Nasceu em São Paulo em 1969, é pedagoga (PUCSP) e mestre em educação (UFPR), trabalhou com alunos de Educação Infantil à Pós-Graduação, formou professores e participou do Projeto Alfabetização Solidária. Desde 2007, dedica-se a escrever ficção. Possui quatro livros publicados: Gênese Pagã. Triskle, Tribo de Dana e Era de Aquário. Tem participação, com contos, em diversas antologias. Agridoce foi seu primeiro conto e que a pedido de leitores da internet transformou em livro.

Para mais informações sobre a autora e suas obras:

13 comentários:

  1. Ei Carlinha! Quero muito ler esse livro!
    Deve ser mesmo maravilhoso!
    Bjus,
    Náh

    ResponderExcluir
  2. Gostei, gostei de tudo, da capa, do título, da sinopse, da resenha....eu adoro estes livros que dão arrepio na espinha. Vou acessar o site da autora para saber mais sobre ela, não conhecia o livro.
    Carla, a sua resenha ta muito bem escrita viu, aliás, você sempre escreve muito bem...
    Beijooo

    ResponderExcluir
  3. Oie!!

    Adorei a resenha! Perfeita!

    Não conhecia o titulo, mas a sua resenha me deixou curiosa...

    Adoro livros assim!

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Este livro despertou meu interesse aff vai gostar desses livros de vampiro com tantos "S" lá longe rsrsrs...

    Eu li e adorei a resenha (descumprindo recomendação médica kkkk)continua assim que vai longe Carlinha :)

    Beijão
    Blog Apaixonada por Romances

    ResponderExcluir
  5. Querida Carla, nutro por Simone uma simpatia, ou melhor, empatia que sempre me faz ter cuidado ao tecer comentários sobre o seu trabalho. Também ganhei o livro autografado de uma amiga muito especial. Fiquei da mesma forma um pouco grilado com a capa, mas isso não interfere em nada na história vertiginosa. Gostei demais e estou aguardando novas aventuras com Anya e companhia. Parabéns pela resenha e vida longa a Simone Marques que é uma pessoa de talento ímpar.

    ResponderExcluir
  6. Esse livro é tudo de bom (assim como os outros da Simone O. Marques)!!! Além de escrever de forma que prende a atenção do leitor do princípio ao fim, trazer para a história elementos novos mas mantendo o mito, Simone criou com maestria os seus personagens. Aliás, em minha opinião, Simone é dos poucos escritores que criam personagens de tal forma que nos vemos altamente envolvidos até pelos personagens secundários (isso acontece em todos os seus livros).

    Carla parabéns pela resenha, adorei conhecer o lance dos "3 S" e sim, com certeza eles estão presentes no AGRIDOCE. :)

    Livro mais que recomendado para quem gosta do gênero e para quem não gosta também porque ficará gostando... rs... bj da angel ;)

    ResponderExcluir
  7. Hum parece interessante mas eu naum gosto do nome... detesto coisas agridoces... hahahahhahaha

    http://conversandocomdragoes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Fiquei com muita vontade de ler. Valeu pela dica e parabéns a autora brazuca! Bjs, Rose:D

    ResponderExcluir
  9. Opa, para tudo! Livro de vampiro com SSS??? Onde, como, porque eu não tenho ele ainda???
    Nem li a resenha que é pra não ficar sabendo do que acontece.
    Xo por ele aqui na "fila do que tem que comprar pra ontem!!!"

    ResponderExcluir
  10. Oi Carla! Obrigada por me avisar do sorteio, pode deixar que farei a divulgação! Nossa, um livro cheio de personagens interessantes e reviravoltas. Logo no começo do livro achei estranho a parte que ela era tímida e lambeu o rapaz que saiu do mar... oO Hahaha Logo vi que ela era um dos personagens sobrenaturais! Quero ler o livro, porque a parte de todas essas novas definições (antagonista, caçador, protetor e etc.) me deixaram muito curiosa...

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. O que mais gosto dos livros da SIMONE e o gostinho de 'quero mais...' que ficamos, curiosos por poder ler um novo livro dela.
    Não li Agridoce ainda...:( snif:( mas, claro que vou ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  12. Agridoce, gostei muito desse título! O livro também parece ser ótimo, e mas com supense e sobrenatural, coisa que eu amo nos livos! *--*
    Parabéns pela resenha que ficou ótima, e também a autora do livro a Simone!
    Já estou ansiosa para lê-lo!
    Beijos!
    Elidiane

    Entre Amigas
    entres2amigas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Pronto Carlinha... fiquei pra lá de entusiasmada... agora preciso ganhar um exemplar...rss
    Valeu pela dica...

    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.