A Promessa - Richard Paul Evans

A PROMESSA
RICHARD PAUL EVANS
Lua de Papel

Comprei este livro em pré-venda na Saraiva, que é o primeiro
deste autor que li, cujo original em inglês intitula-se “Promise me”, de apenas 224 páginas, que conta a história da protagonista Beth Cardall, que encontra-se na véspera natalina de 2008, onde por dezoito anos espera ansiosamente pelo desfecho de um inacreditável segredo, que até hoje nunca compartilhou com ninguém, mas este fato está prestes a mudar.

“Enquanto estiver lendo a minha história, há algo que quero que compreenda. Apesar de todo o sofrimento – passado, presente e o que ainda virá –, eu não teria feito nada diferente. Nem trocaria por nada o tempo que passei com ele – exceto pelo que, afinal, eu troquei.”

Pág. 7

Apesar disso, ela carrega dentro de si as doces lembranças de um tempo inesquecível que vivenciou ao lado de alguém muito especial, que entrou em sua vida como um anjo.

Amei três homens em minha vida. (...). Mas houve um homem entre os dois – um homem que sempre amarei -, mas um amor que nunca poderia existir. (...), quando ele entrou em minha vida e transformou quase toda a verdade de minha existência. Não é fácil explicar (...) como ele surgiu em minha vida, e para onde foi, mas farei o possível.

Pág. 10

Com isso, retrocedemos no tempo juntamente com a protagonista no seu inferno astral, que começa no ano de 1989, que foi muito difícil, porque passou por um drama pessoal equivalente ao ataque das grandes tragédias mundiais, na qual sobreviveu às maiores vicissitudes que a vida lhe deu e o destino lhe impusera.

Aos 28 anos, Beth era casada há sete anos com Marc, um vendedor, e vivia um casamento feliz rodeada pela doçura de sua filhinha Charlotte, de seis anos, que idolatrava o pai e sentia muito sua falta quando ele viajava a trabalho, já que ele era muito amoroso e sempre que possível presente na vida familiar.

- Você comeu tudo, minha porquinha?
Ela riu.
- Você disse que eu era uma macaquinha.
- É verdade. Então fique na cama e não suba mais em árvores.

Pág. 21

Beth não foi feita para ser esposa de um vendedor, mas sua concepção sobre o matrimônio sempre foi dividir as alegrias e as tristezas com a pessoa amada. Conheceu o marido no segundo ano do Ensino Médio e, como ele sempre estava fora, levava uma vida independente e rotineira. Trabalhava em uma lavanderia, onde ajudava nas despesas da casa, porque viviam com o orçamento apertado e isso trazia tranquilidade financeira. Lá conheceu Roxanne, sua melhor amiga e confidente, seu apoio e seu anjo da guarda em todos os momentos, que era casada e tinha uma filha, que era a babá de Charlotte. (Rox foi uma das personagens que mais gostei, pela sua vivacidade e otimismo. Engraçada, conseguia amenizar a dramaticidade do enredo e fazia com que divertisse-me um pouco. Ela era doidinha. Quem não queria ter uma amiga assim?).

Um dia, Beth recebe uma ligação, dizendo que Charlotte não estava sentindo-se bem e fica apreensiva, porque os médicos não sabem diagnosticá-la e acreditam tratar-se de uma simples anemia. Seus sintomas agravam a cada dia, mas o sexto sentido de mãe alerta-a de que tem algo errado com a filha e entra em desespero.

Ainda não sabemos o que há de errado com Charlotte. Gostaria de chorar uma piscina inteira, mas eu provavelmente me afogaria nela.

Pág. 41

E, nesse meio tempo, Rox mostra a ela um bilhete que encontrou dentro da roupa de Marc, enquanto lavava-a, cujo mundo desmorona em sua cabeça e sente-se humilhada, inferior e burra.

- Aquele cafajeste estúpido e desmiolado. Tem uma coisa linda como você em casa, e vai atrás de migalhas por aí.

Pág. 34

E, como se não bastasse, Beth ainda tem que lidar com a infidelidade do marido, em meio à enfermidade da filha, o que lhe traz muito sofrimento. (Fiquei incrédula nessa parte, e lembrei-me instantaneamente do livro da Danielle Steel, “Acidente”, onde a personagem vivia o drama da filha acidentada em coma na UTI, enquanto descobria sem querer a infidelidade do marido).

- Pensei que tínhamos um bom casamento – minha voz falhou. – Pensei que me amava.

Pág. 37

Isso foi apenas um turbilhão do que viria a seguir, mas ela tinha que ser forte por Charlotte, já que seu casamento esfacelara.

Era como o chão se abrisse sob os meus pés e eu caísse de joelhos e chorasse. Continuava perguntando a mim mesma: Como ele pôde fazer isso conosco? Eu o amava. Eu o teria amado para sempre. Teria ficado com ele para sempre. (...).

Pág. 38
Temia que Charlotte me culpasse por ele não estar ali. Era tão injusto. Eu não era a vilã nessa história. Não fui eu que traí. (...). Por que me sentia culpada por mantê-lo afastado?

Pág. 45

Quando estava prestes a perdoar Marc, ele some inesperadamente e quando volta, faz uma revelação bombástica a Beth, cujo coração tornou-se alvo em uma competição de tiro.

Depois de tanto sofrimento e o emprego por um fio, ela ficou descrente, mesmo contando com a ajuda dos amigos e vizinhos solidários, e perdeu a esperança, a confiança nos homens e a fé em si mesma, porque estava derrotada pelo destino, já que por sete anos vivera uma farsa, até que um dia encontra Matthew, um jovem italiano lindo, de aparência exótica, encantador e cumpridor de suas promessas, que mudou todo o curso e a perspectiva em sua vida, o que mostra que as preces da filha foram prontamente atendidas, porque ela vivia em um mundo ilusório onde apenas sua vida e a sua família lhe bastava.


Descobri que as experiências mais significativas de nossa vida raramente ocorrem quando as esperamos, e muito frequentemente quando nem sequer estamos prestando atenção.

Pág. 68

Divertido e persistente, Matthew persegue-a incansavelmente.

Por que alguém tão lindo daria em cima de mim?

Pág. 74
Como qualquer um, eu desejava ser amada. Queria pertencer a alguém. Queria ser querida. Mas a que preço.

Pág. 85
- Se fugir da felicidade é ser esperta, então eu prefiro ser burra. Antes burra que solitária.

Pág. 93

Quem é esse homem doce, galanteador, cavalheiro, romântico, apaixonante, engraçado e misterioso, e como ele parece conhecê-la tão bem, já que sabia seu nome e diagnosticou Charlotte sem conhecê-la, porque teve uma experiência com isso? Bem-apessoado, confiante e convicto, ela não entende como ele sabe tudo sobre sua vida e, o mais estranho, é quando ele conhece sua filha.

(...) havia uma estranha energia. (...), os olhos de Matthew pareciam marejados.

Pág. 125

Estável financeiramente e desempregado, o ex-consultor está à procura de algo significativo, mas carrega em seu âmago uma dor dilacerante e por isso tenta sobreviver um dia de cada vez.

Havia algo que ela não enxergava? O que seria?

- Quem é você, senhor Matthew?
- Acredite, você não vai querer saber.

Pág. 164
- Eu sou um equívoco, Beth. Sou um grande e esquisito equívoco cósmico. – Ele esfregou o rosto. – Eu nunca deveria ter me apaixonado por você.

Pág. 201

Somente depois de ficar perdidamente apaixonada, ela descobre seu segredo inacreditável, transformando sua forma de ver o mundo, assim como seu próprio destino, onde nos mostra que o amor é capaz de transformar e, ao mesmo tempo, mudar todas as nossas perspectivas.

- Dois corações partidos que ainda creem na promessa do amor. Beth, este é um presente dos céus, ele pode ser a sua alma gêmea.

Pág. 144
Se antes achava estar no paraíso, agora eu tinha certeza, absorvida em um delicioso golpe de ironia: forte e delicado, apaixonado e sutil, palpitante e pacífico, feminilidade e masculinidade. (...) nosso primeiro beijo.

Pág. 162

Apesar dela achar improvável encontrar o verdadeiro amor, será que ele lhe dará esperança de viver e coragem para voltar a confiar? Será que Matthew estava predestinado na vida de Beth? Leia o livro e descubra, porque garanto que vai se surpreender. A única dica que posso dar desse grande segredo que paira sobre o enredo é algo bem fictício!!! E aí, vocês tem algum palpite do que seja? Eu fiquei boquiaberta quando descobri. (risos).

Apesar de alguns errinhos de revisão, adorei o design interno do livro, cheio motivos florais semelhante ao arabesco entre os capítulos, que inicia com trechos do diário de Beth, o que torna a história mais atraente. A imagem da capa retrata exatamente o enredo, lembrando os lugares paradisíacos onde os protagonistas viajaram, cujo título em alto relevo dá um destaque maior à palavra “Promessa” em azul brilhante, que é o foco central da história.

Outra coisa que apreciei muito foram os fatos históricos mundiais citados que ocorreram nas últimas décadas, assim como os filmes e músicas que fizeram parte de toda uma geração. (Nesses momentos, eu viajei com os personagens relembrando as músicas inesquecíveis dos anos 70 e 80, que eles desconheciam, como Bee Gees ("Embalos de Sábado à Noite", com o tema Stayin' Alive), Savage Garden (Truly, Madly, Deeply), Milli Vanilli, entre outros.

O livro traz lindas mensagens e vários questionamentos, entre eles:

“São os nossos desejos ou as nossas ações que nos definem?”
“Errar é humano. Perdoar... é amor.”
“Ódio, ressentimento e raiva são parasitas que se alimentam do coração até que não haja nada para nutrir o amor.”

O enredo surpreendeu-me no final, de forma inesperada. A leitura leve fluiu rapidamente de forma clara e pungente desde o princípio, que me pegou de jeito de tão envolvida que fiquei e, se vocês são fãs do autor Nicholas Sparks, também gostarão desse autor, mas aviso-os de que a única diferença aqui é que o final foi feliz. Juro para vocês que pensei que ia terminar de forma dramática, porque tudo apontava para uma direção, mas deu uma guinada de 360º graus, em uma reviravolta tão impactante, que nunca me passou pela cabeça que isso pudesse ocorrer, o que fez com que eu me emocionasse no final.

Se você gosta de drama, de romance e alguns mistérios e conflitos por parte dos personagens, com os quais vocês se identificarão em diversos momentos e situações, este livro é um prato cheio, porque a história é apaixonante, envolvente, comovente, que fará com que você se emocione e torça pelos personagens até a última página!

9 comentários:

  1. Realmente Carlinha, esse livro é a minha cara!
    Preciso ter/ler ele logo!

    Fiquei até em suspense enquanto lia a resenha, me imaginando lendo!

    Crise aqui, eu quero!!!

    ResponderExcluir
  2. Wohhh o livro é a minha cara mesmo rsrsrs
    Amei , amei e amei !
    Já anotei aqui pra eu comprar.

    Bjss

    ResponderExcluir
  3. Parece ser bem legal, Carla! Fofo, mas bastante tenso, né? Os trechinhos que você citou são lindos! Eu não conhecia o livro, não... Mas a capa é linda, eu amei!
    Bjus,
    Náh

    ResponderExcluir
  4. Ai gente, assim você só faz a minha lista de desejos crescer ainda mais!!!
    Sério, li sua resenha e fiquei tentada a correr e comprar esse livro. Sou fã do Sparks, mas só em saber que esse aí tem final feliz já me deixa mais animada! hahahaha
    A história parece ser linda e a capa também. Adorei!!!
    Ótima resenha, como sempre. =)

    Bjusss
    Mi - Viciados Pela Leitura

    ResponderExcluir
  5. Por que será que sou apaixonada por um drama? Não entendo isso! kkk

    Adorei sua resenha, como sempre, perfeita!

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Nossa, acho que estou precisando de um livro assim! Nunca tinha ouvido falar desse livro e nem do autor =/


    Entrou para a lista de urgências, rs. Não vejo a hora de tirar minhas próprias conclusões!


    Ótima resenha Carlinha, como sempre!

    beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Carlinha,

    Nossa que resenha perfeita, de arrepiar. Realmente a cada dia que passa vc me conhece mais rsrs...Com certeza vou amar esse livro^^

    Beijos
    Luciana
    Não deixe de visitar o Blog - Apaixonada por Romances

    ResponderExcluir
  8. Adorei a resenha, e bom saber que o final é feliz depois de tanto sofrimento...
    Vai pra minha listinha de compras...

    beijos,
    Dé...

    ResponderExcluir
  9. perfeito esse livro

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.