Brilhos - Sophia Bennett

BRILHOS
SOPHIA BENNETT

Nonie fisgou a atenção de um garoto maravilhoso.
Jenny ensaia agora sua nova peça.
Edie, porém, está com problemas...

No ano passado, postei aqui a resenha do livro “Linhas”. Hoje falarei sobre “Brilhos”, cujo original em inglês intitula-se Beads, Boys & Bangles, de apenas 288 páginas, que é o segundo volume dessa série infantojuvenil, cujo enredo divertido e relaxante, é ideal para as adolescentes ou para quem está cansado de ler livros densos e complexos.

Primeiramente, quero dizer que a imagem da capa não faz jus, por que ao vê-la pessoalmente é tão mimosa quanto à do primeiro volume, cheia de brilhos. Assim como na edição anterior, os arabescos continuam no título de cada capítulo, o que dá um toque a mais na leitura e torna o livro fashion e encantador!

Em “Linhas”, vimos o quanto três amigas eram especiais e muito unidas, cuja amizade era inabalável. Apesar de discutirem entre si e levarem umas às outras à loucura, elas sentiam-se perdidas se não estivessem juntas. Já sabemos que Nonie era apaixonada por moda, que Edie queria salvar o mundo e que Jenny atuou em um filme de Hollywood. Além disso, vimos o quanto se desdobraram para ajudar Crow, uma refugiada talentosa, aparentemente frágil e delicada, mas no fundo uma pessoa forte, que tinha dificuldade na leitura, onde a voluntária Edie entrou em sua vida como um anjo e, desde então, conhece as meninas há um ano e meio, como também mudou a vida de cada uma delas.

Finalmente, a coleção de Crow, que se tornou uma estilista de moda high-street, chegou às lojas. Além do apoio de seu irmão Henry, ela também conta com a ajuda de sua empresária Nonie, que agora é diretora comercial dos seus negócios.

Nesse meio tempo, Nonie conhece o sósia do Robert Pattinson, Alexander, um jovem bailarino inglês confiante e insistente. Ao que tudo indica, ela acredita que ele seja gay, mas vive suspirando pelos cantos pelo garoto dos seus sonhos, cuja voz é deslumbrante com um discreto sotaque francês! (A princípio, assim como ela, fiquei encantada, porque lembrei-me do St. Clair, do livro "Anna e o Beijo Francês", mas depois desiludi-me, porque o príncipe virou um sapo, mas só lendo mesmo para saber o motivo. Foi uma das partes mais engraçadas do livro. Fiquei imaginando as caras e bocas da Nonie e, em muitos momentos humilhantes, tive pena dela).

E ele é EXTREMAMENTE GATO. Se Robert Pattinson tivesse um irmão mais novo louro, de cabelo desalinhado, seria ele.

Pág. 41
(...) é lindo. E gostoso, em todos os sentidos. (...). E a voz dele é puro mel. (...) com toda certeza está interessado em mim. (...). E faz com que meu estômago se mova descrevendo arabescos impressionantes quando me pega olhando para ele.

Pág. 58
(...). E adivinhe, o suor passa do lábio superior dele para o meu. NÃO, NÃO, NÃO, NÃO, NÃO.

Pág. 93

E Harry, seu irmão e confidente, está namorando e cursando o último ano de artes, mas continua trabalhando como DJ em festas e eventos de moda. Adoro a camaradagem entre os dois, sendo que às vezes, tem até briguinhas entre irmãos. E quem não tem? (risos).

Já Jenny, que está se recuperando do desastre de sua primeira aparição em Hollywood, foi escalada para atuar em uma peça teatral e decidiu não preocupar-se mais com as críticas negativas, desde que seu pai vendeu sua história aos tabloides difamando-a de coisas terríveis. Depois que sofreu uma desilusão amorosa, acha que todos os garotos são desprezíveis.

- Aimeudeus. Ele é lindo.

Concordo com a cabeça.

- Definitivamente perigoso. Fique longe dele, Nonie.


Pág. 55

Quando tudo parecia entrar nos eixos, Jenny fica abalada quando sua inimiga volta para abalar o seu mundinho, porque Sigrid é a Rainha do Mal, que irradia alegria, mas depois te apunhala pelas costas destruindo sua vida.

Enquanto isso, Edie, que é um gênio, concorre a um importante prêmio de ética por seu blog (onde comenta sobre moda, suas campanhas de salvar o mundo, seus sonhos de ir para Harvard), pelos projetos sociais que realiza. Até que um dia, ela entra em pânico, porque seu site foi invadido por hackers!

Infelizmente, isto estoura como uma bomba na cabeça de suas amigas, arruinando suas vidas, o que deixa Edie arrasada, porque um grupo que faz campanha em prol da ética está difamando-a pelas suas mentiras e hipocrisia, o que não é verdade, porque ela preza a sinceridade e a justiça acima de tudo. E, para piorar ainda mais a situação, fazem acusações gravíssimas e injustas, porque há rumores de que a coleção de Crow foi produzida em fábricas indianas com condições precárias à custa do trabalho escravo infantil.

- São fotos de CRIANÇAS! Crianças minúsculas, exauridas. Em uma sala sem janelas, sem iluminação adequada. Sentadas atrás de coisas que parecem tambores, com o tecido esticado diante delas. Costurando cristais em peças que eu reconheço como sendo da coleção de Crow. Peças que eu VESTI!

Pág. 75

Será que essas fotos foram forjadas? Mas quem iria querer isso e por quê?

Tudo indica que a Miss Teen, a famosa grife para a qual Crow trabalha, pode estar envolvida em práticas trabalhistas abusivas. Será que eles estarão por trás disso? E porque querem prejudicar as garotas?

- (...). Toda vez que você compra uma calça jeans barata em um supermercado, você precisa se perguntar como aquilo pode ser tão barato. Quem foi que fez? Quanto essas pessoas ganharam? Foi um pagamento justo?

Pág. 86

A pedido da grife, as garotas e Harry, fazem uma viagem incrível à Índia, cujos costumes e sua cultura resplandecente de cores e brilhos, os monumentos e as belas paisagens, são descritas de uma forma tão peculiar, que transportaram-me para o meio do trânsito caótico ao mercado indiano, das fábricas têxteis ao Taj Mahal (cuja história, que eu desconhecia, emocionou-me demais, porque foi construído por um imperador para a esposa falecida, cujo túmulo tornou-se o mais belo e o maior monumento de todos os tempos ao amor), das ruas tumultuadas, becos sem saída ao seu povo alegre e sofrido, que lembraram-me instantaneamente da telenovela global “Caminho das Índias” (Quem não se recorda do Raj e da Maya?).

- Foram necessários 20 mil trabalhadores e mil elefantes para construí-lo, e reza a lenda que o xá Jahan mandou cortar as mãos de todos eles ao terminarem, para que nunca mais pudessem construir nada tão lindo.

Pág. 196

Nesta aventura, correndo toda sorte de perigos e arriscando suas vidas, nossos amigos fazem uma descoberta assustadora.

- (...) provavelmente não vão nos dizer nada. Essas operações são totalmente ilegais e por isso todo mundo guarda segredo. (...). E igualmente perigoso. Ah.

Pág. 213
(...) estamos em uma faixa de terra descoberta perto da linha do trem e de alguns prédios de apartamento decrépitos, cercados por fileiras de pequenos barracos. (...). Algumas vacas e cabras fuçam as fossas cheias de vegetação e lixo, procurando alguma coisa para comer. Do outro lado, vários meninos de rua estão jogando críquete, apesar do calor e da umidade. A terra está coberta com excrementos de animais, (...).

Pág. 217

Em meio a isso, eles não sabem o que estão fazendo e em quem confiar. Por isso, decidem não tomar nenhuma atitude até voltarem de viagem, porque finalmente depararam-se com uma grande questão fazendo-os refletir acerca da vida, do amor fraternal e da amizade colocando em xeque seus valores, suas crenças e sua dignidade, que lhe são caros. Mas qual deles: Seus sonhos ou seus ideais? Isto, você só saberá, é claro, lendo o livro!

Será que Nonie conheceu mesmo o seu grande amor? Será que Jenny, finalmente tornou-se uma estrela? Será que Edie finalmente conseguiu desmascarar os culpados e provar a sua inocência?

Diferente do primeiro volume, achei o enredo de “Brilhos” meio monótono em alguns momentos, mas isso foi compensado pela ação e pelo mistério que envolvia as investigações das denúncias feitas.

Além de abordar questões sociais sérias, esses jovens inteligentes representam cada um de nós que tivemos anseios, frustrações, sonhos ou ideais em nossa adolescência. (Ainda estamos sonhando, porque tudo o que almejamos conquistamos! E, se você não conseguiu concretizar os seus sonhos, acredite que um dia torna-se realidade).

No mundo da moda, esses jovens sonhadores ainda vão longe!

“Brilhos” é repleto de aventuras, diversão, humor, mistério, romance, desilusões amorosas, questões sociais para ser refletidas, entre elas o amor ao próximo e a amizade. Tudo isso, com muito estilo e glamour.

Série Linhas

1. Linhas (Threads)
2. Brilhos (Beads, Boys & Bangles)
3. Sequins, Stars & Spotlights

Site Oficial no Brasil:

Twitter das personagens da série "Linhas",
onde
cada uma tem seu estilo e suas dicas sobre moda
:

16 comentários:

  1. Adorei a resenha, Carla!
    Ainda não tenho o primeiro da série mas estou interessada as resenhas que eu li me agradaram ;)

    Beijos
    Luciana
    Não deixe de visitar o Blog - Apaixonada por Romances

    ResponderExcluir
  2. louca para ler a serie, ainda nem li o primeiro Oo!

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha Carlinha!

    Adoro isso... "repleto de aventuras, diversão, humor, mistério, romance, desilusões amorosas, questões sociais para ser refletidas, entre elas o amor ao próximo e a amizade. Tudo isso, com muito estilo e glamour."
    Esse livro parece ser muito bom, preciso ter os primeiro!

    Mesmo não tendo dá para ler o segundo?

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Leninha.

    Dá pra ler sem problemas, mas acontece que tem personagens do primeiro que aparecem neste livro.

    Só lendo mesmo para você entender o que passou, e dá um entendimento melhor na história, em especial o drama vivido pela personagem Crow.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Adoro enredo divertido e relaxante.Livros com diversão e humor e amor, é tudo que eu quero agora, depois do Cross. Este vinha a calhar,Carla. Bjus

    ResponderExcluir
  6. Carla eu não li nem o primeiro ainda e já está no segundo. rs

    Gostei da resenha, espero que em breve eu possa me divertir com essa série.

    Beijso

    ResponderExcluir
  7. Engraçado, eu sempre achei que esse livro fosse infantil... fiquei surpresa ao saber que não é...
    Mas por enquanto não está na minha listinha, já que ainda nem li Linhas hehehehe

    ResponderExcluir
  8. Ei Carlinhaaa, não li sua resenha porque Brilhos é o próximo da fila! Devo começar amanhã!

    Depois volto para ver se partilhamos a mesma opinião, o que não é raro né?

    beijos e estou com saudades de nossas conversas =/ Essa falta de tempo está acabando comigo snif

    ResponderExcluir
  9. Adorei saber um pouco do livro!
    Uma história tão bacana, né?
    Mas eu pensava que era tão monótona...
    Adorei a capa tbm!

    beijos.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Leninha.

    Dá pra ler sem problemas, mas acontece que tem personagens do primeiro que aparecem neste livro.

    Só lendo mesmo para você entender o que passou, e dá um entendimento melhor na história, em especial o drama vivido pela personagem Crow.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Com certeza! Depois de uma leitura densa, nada melhor do que uma relaxante depois. ^^

    ResponderExcluir
  12. Não é infantil, não Ba.

    É infantojuvenil, porque aborda questões comuns da adolescência e temas sociais bem sérios, o que torna a leitura bem prazerosa.

    Pode ler "Linhas" tranquila, que você vai gostar. ^^

    ResponderExcluir
  13. Olá, Gabi.

    Sei que você já leu o livro e partilhamos da mesma opinião. ^^
    Também estou com saudades.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Oi, Cynthia.

    A história é muito boa pelo fundo social que ela mostra.
    A capa é um mimo.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. li o 1º e amei e ja estou louca para ler o 2ª kkkkk

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.