Uma Vida sem Limites - Nick Vujicic

UMA VIDA SEM LIMITES
NICK VUJICIC
Novo Conceito

Este livro, cujo original em inglês intitula-se Life without Limits, com 257 páginas, é a biografia do autor Nicholas James Vujicic, que compartilha suas experiências, onde passou por todas as adversidades e dificuldades comuns enfrentadas por todos nós e, mesmo com sua deficiência, soube transpor todos os obstáculos inerentes à condição humana, porque aceitou o imponderável e concentrou-se em suas habilidades, apesar da batalha travada emocionalmente para conviver com isso por toda a vida.

Este gênero é pouco visto aqui no blog, mas algumas biografias que li acabaram surpreendendo-me e sendo uma grande inspiração de vida, como é o caso de Nick, que nasceu sem os braços e as pernas, tendo apenas um pezinho, em razão da síndrome tetra-amelia, mas nunca deixou que sua condição impusesse limites e, atualmente, vive uma vida plena e realizada.


“Por muito tempo me perguntei se haveria no mundo alguém como eu, e se haveria outro propósito para a minha vida além de dor e humilhação.”

Sua mãe, uma enfermeira, teve uma gravidez tranquila. Nunca foi detectado nada nos exames pré-natais, mas na hora do parto, seu sexto sentido alertou-a de algo errado. Seu pai, um faz-tudo, ficou angustiado e perplexo, quando descobriu a verdade chocante e perdeu suas forças.
Seu nascimento não foi motivo de alegria, muito pelo contrário, o que magoou sua mãe profundamente.

- Se Deus é um Deus de amor, por que deixaria uma coisa dessas acontecer?

Pág. 19

Como pais de primeira viagem, não estavam preparados. Mesmo desanimados e desesperados, decidiram seguir em frente criando-o com todo amor, desvelo e proteção.

(...) ouvir que minha mãe não suportava sequer olhar para mim foi... bom, imagine só o que você teria sentido. Fiquei arrasado e me senti rejeitado, (...).

Pág. 20

Na infância, orava todas as noites para ter braços e pernas. Dormia chorando e sonhava que quando acordasse seus membros apareceriam como por milagre. Não conseguia aceitar sua condição, já que era muito difícil ser aceito pelos outros, que eram insensíveis e sem a menor noção. Sofria todo tipo de bullying e preconceito, por isso sentia-se magoado e rejeitado.

Por mais que tentasse fazer as atividades normais, (...) só aumentava a minha consciência de que simplesmente existiam coisas que eu jamais conseguiria fazer.

Não me ajudou em nada o fato de que algumas crianças cruéis me chamavam de “aberração” e “alienígena”. Obviamente, sou humano, e queria ser como todo mundo, mas aparentemente as chances de isso acontecer eram mínimas. Eu queria ser aceito. Mas sentia que não era. Eu queria me encaixar, me ajustar, achar meu lugar. Mas não conseguia. Dei de cara com a parede. À minha frente havia uma montanha de dificuldades.

Pág. 10

Seus parentes jamais fizeram sentir pena de si mesmo, o que tornou-o um ser humano forte, porque sempre foi uma criança traquinas e intrépida, mas determinada, feliz e otimista, porém seus pais não vislumbravam um futuro feliz e preocupavam-se com o tipo de vida que ele teria, porque Nick despertou neles o terror do desconhecido: Como se alimentaria? Frequentaria a escola? Quem cuidaria dele se um dia lhes faltasse? Como conquistaria sua independência? Isso são questões comuns que passam pela cabeça de qualquer pai que tem um filho, seja ele saudável ou não.

(...). Para cada deficiência ou defeito que você tem, a vida o abençoou com muitas habilidades e talentos para superar seus obstáculos.

Pág. 27
(...). Há uma verdade maravilhosa que é crucial na vida. (...): cada um de nós tem um dom – um talento, uma habilidade, uma aptidão – que nos dá prazer e nos cativa, e o caminho para a felicidade muitas vezes está nesse dom.

Pág. 34

Solitário, sempre travou uma árdua batalha de provações e dificuldades, para aceitar a sua deficiência. Por causa disso, sentia-se emocionalmente vulnerável na adolescência, onde passou por um período depressivo de raiva, frustração e ressentimento, que só serviu para afastar as pessoas. Seus pensamentos eram tão sombrios, que tentou o suicídio em uma tentativa de se autodestruir, porque não conseguia perdoar Deus, o que colocou sua fé em conflito, já que estava absorto nas limitações e não nas possibilidades de dias melhores.

Aprendeu a conviver com o que tinha e levava uma vida normal, andando de skate, jogando futebol e golfe, nadando, surfando, tocando instrumentos musicais. Otimista, tinha uma alegria de viver que contagiava a todos que o rodeavam. Em sua adaptação, com seus fracassos e sua perseverança, tornou-se humilde, paciente e obstinado, onde ganhou coragem, fé, esperança, autoestima e sociabilidade.

Talvez você passe por períodos difíceis. Talvez caia e sinta que não tem forças para se levantar. (...). A vida nem sempre é fácil, mas, quando superamos as adversidades, nos tornamos mais fortes e mais gratos pelas oportunidades. O que realmente importa são as vidas que você consegue tocar e influenciar de maneira positiva ao longo do caminho, e como completa a sua jornada.

Pág. 12

Seus pais eram cristãos devotos e acreditavam que ele não teria um futuro brilhante, mas estavam redondamente enganados, porque não previram a vida maravilhosa que teria tocando muitas outras, porque encontrou um propósito e saiu em busca dos seus sonhos confiante no futuro, superando todos os obstáculos, porque todos nós somos seres humanos imperfeitos e abençoados à nossa maneira.

- Aos poucos estou aprendendo a ter mais fé e a acreditar que não sou um erro.

Pág. 103

Apesar de sua condição física ser um fardo, foi também uma bênção, porque viveu experiências gratificantes, que jamais teria ousado sonhar, porque foi abençoado por uma família amorosa, perspicaz e tolerante em sua fé.

Acredito do fundo do coração que a minha vida não tem limites. Quero que você sinta a mesma coisa em relação à sua vida, quaisquer que sejam seus problemas. Agora que iniciamos a nossa jornada juntos, por favor, reserve alguns minutos para pensar nas limitações que você mesmo impôs à sua vida, ou que permitiu que outras pessoas impusessem. Pense em como seria se você se visse livre dessas limitações. Como seria a sua vida se tudo fosse possível?

Pág. 16

Com o tempo, Nick amadureceu, mas quando pequeno era egocêntrico e acreditava que ninguém sofria a mesma dor emocional e frustração física do que ele, mas reconheceu que todos sofriam os mesmos ou os piores tipos de problemas e começou a se colocar no lugar dessas pessoas.

Palestrante, evangelizador, pregador motivacional e diretor da Life without Limbs (Vida sem Membros), uma organização sem fins lucrativos, atualmente viaja pelo mundo incentivando as pessoas a superarem as adversidades por meio da deficiência, da fé, da coragem, da esperança e do amor para batalhar por seus sonhos, dando um sentido às suas vidas.

Em suas viagens, vê situações de sofrimento inacreditáveis, e isso faz com que ele sinta-se grato pelo que tem e menos propenso a se concentrar no que lhe falta, porque já viu órfãos paralíticos e com doenças degenerativas, mulheres submetidas à escravidão sexual, homens presos por não conseguiram saldar suas dívidas, devida a extrema pobreza em que vivem, entre outros.

Quando enfrentar períodos difíceis e tragédias, em vez de olhar apenas para si mesmo, olhe para quem está à sua volta. Em vez de se sentir ferido e magoado e buscar piedade, encontre alguém com feridas piores e ajude a curá-las. (...) o sofrimento é parte da condição humana e que estender a mão é uma maneira de se curar e ajudar outras pessoas a se curarem.

Pág. 118

Em suas palestras, o autor causa impacto nas pessoas mudando sua maneira de ver a vida, transformando seus defeitos e negativismo em qualidades e positivismo. Sempre se surpreende com a reação pública em regiões extremamente pobres e sofridas, que chegam a comovê-lo de tal forma que muitas vezes leva-o às lágrimas.

(...) estenda a mão para alguma pessoa necessitada. Vá trabalhar como voluntário em algum abrigo. Atue como guia ou monitor. Use sua raiva, seu luto e sua tristeza para ajudá-lo a entender melhor e a aliviar a dor de outras pessoas.

Pág. 120

Esse livro é um grande ensinamento e traz muitas lições de vida, onde você reflete que tem tantas pessoas saudáveis que reclamam da vida por coisas tão ínfimas, que elas esquecem o quanto são afortunadas.

Se você não consegue um milagre, torne-se um.
Não deixe que os medos o impeçam de ir atrás dos seus sonhos.

Em diversos momentos, identifiquei-me com o autor e fiquei muito comovida. Apesar das vicissitudes que a vida me impôs, só tenho a agradecer por esse dom tão precioso.

Depois que ler esse livro, vocês olharão sua vida sob uma nova perspectiva e aprenderão a apreciá-la profundamente sem limites.

8 comentários:

  1. Oi, Carlinha!

    Não li ainda o livro, mas quem está lendo é minha mãe, e ela ficou de boca aberta quando começou a ler. Disse que "foi um tapa na cara". Ainda comentou "reclamo de tanta besteira, não devia pensar dessa forma".

    O livro muda com certeza nossa forma de pensar.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Todos dizem a mesma coisa , que esse livro é uma lição de vida, tenho certeza que vou chorar durante a leitura mas no momento preciso ler algo desse gênero.

    Beijos
    Luciana
    Não deixe de visitar o Blog -
    Apaixonada por Romances

    ResponderExcluir
  3. Com certeza, Le! Vai mudar a opinião de todos que lerem. ^^

    ResponderExcluir
  4. Náh, fico feliz que tenha gostado da resenha. Essa leitura foi muito especial mesmo e inspiradora! Tenho certeza que você vai amar. ^^

    ResponderExcluir
  5. Esse livro é uma lição de vida com certeza!
    Linda resenha!

    ResponderExcluir
  6. Eu estou louca para ler esse livro... Pena que com as provas da faculdade eu tive que adiar... Mas vou pegar para ler muito em breve... Resenha linda, Carla! Amei*
    É assim mesmo que eu imaginei o livro... Li três ou quatro páginas, e já percebi o quanto essa leitura vai ser especial! :)
    Que bom que você gostou!
    Bjinhos,
    Náh

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ka.

    Vale muito a pena a leitura desse livro. E sua mãe disse tudo em poucas palavras.

    Depois que você ler, entenderá o quanto a nossa vida é preciosa e reclamamos por tão pouco.

    Com certeza, é uma lição de vida.

    Beijos.

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.