Deslembrança - Cat Patrick

DESLEMBRANÇA
CAT PATRICK
Intrínseca

Este é o primeiro livro da autora que leio, cujo original em inglês intitula-se Forgotten, com 254 páginas.

London Lane é uma jovem que leva uma vida normal como qualquer adolescente da sua idade, mas o que a difere dos outros é que não se recorda de nada que aconteceu no passado, porque suas lembranças estão no futuro de pessoas que ainda estão por vir.

Para relembrar do ocorrido no dia anterior (fez lembrar-me do filme “Como se fosse a primeira Vez”, estrelado por Drew Barrymore e Adam Sandler, mas são completamente distintos), sempre recorre aos bilhetes que escreve antes de dormir ou à ajuda de Jamie, sua rebelde melhor amiga, que todas odeiam e com quem os garotos vivem flertando, por quem tem uma grande admiração e preocupação, porque terá um futuro amargo e de muito sofrimento ao se envolver com alguém sórdido e London fará de tudo para salvá-la, cujos pais tem problemas que influenciam na sua decisão, que vira-lhe as costas por ser teimosa.

Ela encara sua amnésia como uma fatalidade, mas aprendeu a conviver com essa limitação, que pode ser um dom para salvar ou mudar o destino das pessoas.

Tem muitas lembranças futuras importantes e sombrias, mas um dia começa a ser perseguida por imagens perturbadoras em um cemitério. Para isso, precisa entender o presente e o futuro que irá reescrever o passado e reavivar o que se perdeu ou ficou bloqueado em sua mente.

Eu me lembro do que ainda vai acontecer.
Lembro o futuro, mas esqueço o que já passou.
Todas as minhas lembranças, boas, ruins ou tanto faz, um dia vão se concretizar.
Então, goste ou não – e eu não gosto -, vou me lembrar de estar em pé num gramado recém-aparado, rodeada por pedras e pessoas vestidas de preto, até que isso se torne realidade. Vou me lembrar desse funeral... até que alguém morra.

Pág. 33

Em meio a isso, surge em seu caminho Luke Henry, o novo aluno, um artista lindo, decente, relaxado, tranquilo, carinhoso, amigo, confidente, gentil e o garoto perfeito e incrível que toda jovem sonha.

No meio do período de estudo, meus dedos esbarram sem querer nos dele, do outro lado da mesa. Tenho a sensação de que alguém injetou adrenalina em meu coração; (...).

Pág. 41

Infelizmente, ele é a única pessoa na sua vida que não consegue se lembrar por ser imune ao seu dom, mas não sabe que ele é uma pessoa muito especial que devolverá a si mesma, porque além de ajudar, lhe dará muita força porque a ama, mudando seu destino repleto de reviravoltas surpreendentes.

Apesar de ter dezesseis anos, London é muito madura, porque não gosta de ser o centro das atenções, apoia e não desiste dos amigos, como também não liga para bobagens. Tem uma relação amistosa com a mãe, mesmo que esteja misteriosa, escondendo fatos e mentindo para protegê-la (como saberemos no final do livro) e tenta encontrar o pai ausente.

- Você não tem ideia de como é esquecer completamente todos os dias. Acordo sem saber o que usei na escola no dia anterior, sem falar nas coisas idiotas que eu possa ter feito ou dito. Lembro-me de coisas que ninguém, ninguém, deveria ter que prever para si. Coisas horríveis. Coisas que vão acontecer comigo...

Pág. 148

Ela descobrirá sobre sua amnésia e porque tem esse dom? E de quem é o enterro que vê no futuro? Porque a ausência do pai a atormenta tanto? Conseguirá mudar o destino de alguns amigos e ajudar até a sua própria família?

(...), talvez eu vá sempre me esquecer do passado. Mas o que mais preciso me lembrar é do seguinte: Também posso mudar o futuro.

Pág. 250

Essa e outras respostas você saberá lendo o livro, mas como toda obra há os seus prós e contras. Antes de começar a lê-lo, nunca imaginei que o dito popular: “Nunca julgue um livro pela capa” iria se inverter no processo.

Primeiramente, quero dizer que a capa nacional é linda e tanto o design gráfico, revisão e diagramação estão impecáveis. A sinopse me instigou desde o princípio, porque adoro esse gênero ainda mais com uma aura de mistério e suspense que me chamou a atenção pela originalidade do tema.

A leitura fluiu agradavelmente com clareza, por conta da escrita singela e dos capítulos curtos, envolventes e objetivos. O enredo é narrado em primeira pessoa, com personagens cativantes, apesar de algumas contradições. Até a página 144, a história é focada nos conflitos pessoais e sentimentais dos personagens, especialmente mostrando o lado idílico dos protagonistas, cujo romance é doce, terno e encantadoramente românticos, mas no decorrer da leitura isso acaba sendo um pouco monótono e cansativo por ser mais do mesmo e porque você não vê o desenrolar da trama, que narra o cotidiano da protagonista.

Infelizmente, este romance também teve alguns contras que frustraram completamente as minhas expectativas, devido a algumas controvérsias que me trouxeram emoções conflitantes acerca do enredo, porque achei que faltou explorar e desenvolver melhor a história, principalmente em algumas situações completamente irreais, que tinha tudo para ser inovadora, porque o mote é muito interessante.

Apesar de a leitura ter ficado monótona e cansativa pela enrolação em si, só após a página 144 comecei a ver a reviravolta em meio a muito suspense e mistério, que foi o ápice da trama. Algumas questões foram esclarecidas, mas muitas ficaram pendentes e sem nenhuma resposta, porque o final deixou muito a desejar sem evoluir ou aprofundar em nada, deixando muita coisa em aberto. Também não vi nada do thriller que a premissa apregoou.

Depois que terminei de ler, andei pesquisando, mas não encontrei nada a respeito da minha dúvida e me questiono: “Se este livro não é uma série, como pode ter terminado dessa forma tão abrupta e imperfeita?!”, pois senti falta de uma justificativa, porque ainda daria pano para muitas páginas, já que fiquei insatisfeita com o desfecho. Pode ser que futuramente a autora escreve uma continuação, mas até o momento não há indícios disso.

Concluindo, o livro é bom, mas não é ótimo e muito menos excelente. Cabe a você decidir se lerá ou não e tirar suas próprias conclusões.

Brevemente, teremos uma adaptação cinematográfica inspirada nesse livro, cujos direitos foram comprados pela Paramount.


16 comentários:

  1. Oi, Kassia.

    Aconteceu o mesmo comigo. Fiquei encantada pela capa e pela premissa da sinospe, mas foi um banho de água fria o final, viu?

    Espero que tenha uma continuação, mas vamos aguardar.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Ei, Carla! É a segunda resenha desse livro que leio hoje. Eu gostei da premissa do livro. De fato, na primeira vez que eu vi o livro, me lembrei de "Como se fosse a primeira vez". Quero muito ler, apesar dos pesares que você e outras pessoas citaram. Uma pena o final abrupto. Vamos torcer para que haja uma continuação. 

    Beijos,
    Inara | http://lerdormircomer.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Aiii esse livro me deixou confusa.... não sei se tenho "peito" para ler... hahaha... gostei do rapaz... deve ser muito complicado essa aminésia... e o dm de ver o futuro... muita complicação para uma garota tão jovem...

    ResponderExcluir
  4. Oi Carlinha!

    Estou com o ebook em casa para ler, mas não me inspirei ainda kkk

    Acho que vou deixar para mais para frente kkkk

    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. KassiaCrislayne23/06/2012 18:54

    Olá, Carla.

    Esse livro foi uma paixão à primeira vista. Na turnê da intrínseca aqui em Fortaleza, eu babei por ele. Triste saber que termina dessa forma e deixa a desejar. Provavelmente não vou gostar, odeio quando isso acontece... =\

    Tinha amado a sinopse e a ideia pra história. Mas, quem sabe, se surgir a oportunidade (se ele estiver baratinho, rs), eu o lerei!

    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Carlinha, eu também adoro quando tem alguém lendo comigo :)

    ResponderExcluir
  7. Oi, Luana.

    Concordo com você.
    Acho que foi a primeira vez que li algo assim.
    É frustrante mesmo!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Com certeza, Nanie!

    Gosto muito quando alguém está lendo, porque aí tem como discutir nossas impressões. Acho ótimo!

    ResponderExcluir
  9. Luana Correa23/06/2012 18:54

    É chato quando isso acontece! Essa sensação de que "o que será que vem depois?" sendo que não vem nada, decepciona muito, parece até que a gente leu o livro pela metade! :/
    Bjs e ótima terça!

    ResponderExcluir
  10. Foi a primeira vez que o ditado "Nunca julgue um livro pela capa" se inverteu.

    Foi frustrante! :(

    ResponderExcluir
  11. Detesto quando me engano com uma capa. Fico para MORRER. 

    Temos o gosto muito parecido então é bem possível que eu concorde com você, haha

    Beijoos

    ResponderExcluir
  12. Oi, Gabi.

    Infelizmente, a capa me enganou direitinho, porque o enredo não foi nada daquilo que esperava.

    Leia e depois me diga o que achou, mas pelo que te conheço, acho que você vai achar o mesmo. rs.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Oi Carlinhaa!

    Ainda não li o livro e fiquei um pouco receosa depois de alguns comentários que li a respeito. 
    A capa é realmente linda e a Intrínseca costuma acertar muito na diagramaçào dos livros...

    Vou arriscar e ver o que acho =D

    Beijocas

    ResponderExcluir
  14. Carlinha, é verdade! Acabamos realizando a leitura ao mesmo tempo >< Eu compreendi o porquê de você não ter gostado e você também compreendeu o porquê de'u não estar gostando ><

    ResponderExcluir
  15. Oi, Nanie.

    Comecei a leitura antes de você, mas acabamos lendo ao mesmo tempo, e você concluiu um dia antes de mim. Felizmente, você entendeu o porquê de eu não estar apreciando-o durante a leitura. [risos].

    Realmente, muitas situações ficaram a desejar mesmo. Faltou justificativa em muitos momentos, que tornou tudo muito irreal.

    Concordo plenamente com você e fico contente de saber que não fui a única a achar isso.

    Tinha tudo para ser perfeito, mas não foi o esperado.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Carlinha, eu me senti exatamente como você! Adorei a sua resenha.
    Acho que o que faltou à autora foi mesmo desenvolver melhor a própria história... nas últimas páginas acontecem muitas coisas, tudo mais rápido e pouco explicado...Aliás, uma das coisas que senti mais falta foi da explicação do porquê ela não consegue ver Luke em seu futuro... há uma explicação bem meia boca, quase que jogada no meio do livro... mas eu achei que seria algo mais interessante.

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.