Rosa Negra - Nora Roberts

ROSA NEGRA
NORA ROBERTS
Bertrand Brasil

 

Este livro (Black Rose, com 350 p.) é o segundo volume da Trilogia das Flores, que foca na história de Rosalind Harper, uma bela mulher generosa e cínica, forte e inabalável, corajosa e independente, com um enorme senso de humor, que passou pelas adversidades da vida sem se abater.

Após enviuvar cedo, contou consigo mesma e criou os três filhos (Austin, Mason e Harper) sozinha. Sua prioridade sempre foi a segurança e o sustento deles. Por isso, sempre cuidou e protegeu a Harper House.


Enigmática, visionária e reservada sobre o passado, ela perdera sua avó, nunca fora chegada aos pais e tampouco tinha contato próximo com os parentes, que se distanciaram. Seu filho Harper era seu porto seguro. Competente e criativo herdara seu amor pela jardinagem.

Casou-se duas vezes, mas seu último relacionamento a fez sofrer demais e se fechou para o amor. Desde o divórcio foi celibatária, porque seu erro custou muito tanto em nível emocional quanto financeiro.

Seu negócio expandiu e tornou-se a esperança para muitas mulheres que sobrevivem com o trabalho, que corre um grande perigo por conta da Noiva Harper.

Roz traz um passado conturbado através dos seus ancestrais. Para isso, conta com a ajuda do escritor e genealogista, Dr. Mitchell Carnegie, que
acha que seu passado e seus casamentos podem estar ligados à história do fantasma.

Por um momento, apenas por um instante, Roz pensou ver uma mulher com um vestido branco enlameado, deitada numa cova aberta. E nesse momento, apenas nesse instante, sentiu o cheiro da morte sob as rosas.
Depois, a mulher abriu os olhos e fitou os dela com uma espécie de avidez enlouquecida.
Pág. 141

Em meio à investigação, ele acaba intrigado com as muitas facetas dessa mulher pragmática e se vê cada vez mais atraído e, respectivamente, recíproco.

Uma relação com ele talvez viesse a ser interessante, até mesmo divertida, e Deus sabia que precisava de alguma paixão na vida. Mas também seria complicado, possivelmente muito emotivo. E, devido ao trabalho que o contratara para fazer, potencialmente doloroso.
Pág. 75

O mistério vai se desvendando e o amor florescendo entre eles, que farão de tudo para agarrar essa chance, mas a Noiva pode acabar ferindo o que lhe é mais caro colocando em risco a vida da família.


Aos 48 anos, Mitch é culto, obstinado, encantador e divorciado. Amava incondicionalmente seu filho, Josh. Adorei a camaradagem entre os dois. Apesar de emanar confiança, algo em seu passado custou sua própria família.

- Acho que é preciso ser um homem corajoso e forte para enfrentar os demônios interiores e derrotá-los, continuando a enfrentá-los todos os dias. E generoso e inteligente para arcar com a culpa em vez de descarregá-la em alguém, mesmo que parcialmente.
Pág. 120

Enquanto Roz era altiva, contraditória, mantivera seu lar seguro, honrara as tradições e montara seu negócio; ele era desorganizado e negligente com algumas coisas. 


Ela imaginara aquele sabor, maduro e poderoso. Mais forte do que doce. Quisera sentir aqueles lábios contra os seus, saber como o corpo esguio se encaixaria no seu. Agora que o descobrira, ela se instalou dentro dele e deixou-o querendo mais.
Pág. 126

Apesar de se completarem, ambos se respeitarão mutuamente, mas ela tinha medo de se entregar a um homem excitante, reconfortante, intrigante e divertido. Não tinha tempo e vontade de ter outro relacionamento, mas sua aura a fascinava, atraía e dominava.

- Você não tem nada de delicado. Você é uma rosa selvagem... uma rosa negra com muitos espinhos.
- As rosas negras não são selvagens. Têm que ser cultivadas. E nunca houve alguém que conseguisse uma rosa completamente negra.
- Uma rosa negra. (...). Rara e bela.
- Se você continua falando assim, vou ter que convidar você aos meus aposentos privados.
- Estava achando que nunca mais me diria isso.
Pág. 204

Saiu magoada e humilhada da união disparatada com Bryce Clerk, um mentiroso convincente e vigarista, que se aproveitou de sua fartura. A volta do ex, que feriu seu orgulho, a deixa perturbada e em ponto de ebulição e quer provar a si mesma que esse homem ardiloso não afetará mais a sua vida.

Quanto tempo mais, interrogou-se, por quanto tempo mais deveria continuar pagando por um único erro estúpido e irrefletido?
Pág. 81


Também matamos a saudade de Stella, a protagonista de Dália Azul, que está de casamento marcado com Logan e continua administrando os negócios de Roz e cuidando dos filhos traquinas. Hayley com sua bebê fofa, Lily e Harper. As crianças são fofas e o encanto do livro. 

Será que Roz está ligada ao passado da Noiva Harper, por conta de tanto ódio que esta emana? Conseguirá passar por mais esse obstáculo que a vida lhe impôs e colocar seu ex em seu devido lugar? E, depois de tanto sofrimento, a felicidade estará ao seu alcance? Leia e se emocione!

A capa desse livro ficou linda, cujo toque aveludado me lembrou das roseiras que cultivo em meu jardim. O enredo é narrado sob a perspectiva de Rosalind Harper, entremeado de aventura, mistério, revelações surpreendentes sobre os antepassados familiares, suspense aliado ao mistério sobrenatural com cenas de arrepiar os cabelos, que ainda tem muita coisa a mostrar no próximo volume e, claro, muito romance.

Em relação à tradução, gostei do texto rebuscado que combinou perfeitamente com a personagem e achei o estilo bem similar às obras portuguesas. Para quem não está familiarizado pode até estranhar.

Quanto à revisão, não posso dizer o mesmo, porque deixou a desejar com erros gramaticais, entre eles: pronome, concordância verbal e nominal além de um problema constante nos livros em geral, que é a suavização de termos chulos (pág. 19). Além disso, qualquer leitor exigente e minucioso perceberá que houve uma falha na tradução que me deixou confusa logo no princípio da trama
(Pág. 20). Tive que ler o original para confirmar isso, porque a personagem estava fazendo sua corrida matinal e, mais tarde, estava usando a mesma camisola no escritório (pág. 28). Estranho, não é?

No original: “Wearing sweats against the dawn chill, she slipped out of her bedroom by the terrace door.”

Na tradução: “Com uma camisola protegendo-a do frio da madrugada, saiu do quarto pela porta do terraço.”

Pág. 20
No original: “She had no husband, no lover, but she did have na image to uphold. She was a Harper, and Harpers had their pride.
But, Jesus, maintenance was a bitch.”

Na tradução: “Não tenho marido, nem amante, mas havia uma imagem a manter. Era uma Harper, e os Harper tinham o seu orgulho.
Mas, por todos os santos, a manutenção era um caso sério.”


Pág. 19

Fiquei surpresa, porque tenho vários livros dessa editora e nenhum nesse estado, mas já ouvi comentários de que muitos romances dessa autora tiveram problemas, o que é uma pena! Apesar desses pormenores, este livro me encantou tanto quanto Dália Azul.

Foi uma leitura intensa e tão apaixonante quanto seus personagens. Só Nora Roberts para criar dramas envolventes com os quais não tem como o leitor não se identificar em algumas situações e ficar enlevado ao longo da leitura, que é cativante e mágica, que traz nas entrelinhas a mensagem de esperança, fé e otimismo em meio às adversidades.

TRILOGIA DAS FLORES
(In The Garden)

1. Dália Azul (Blue Dahlia) - Stella
2. Rosa Negra (Black Rose) - Rosalind
3. Lírio Vermelho (Red Lily) - Hayley

7 comentários:

  1. Já li Dália Azul e durante a história gostei muito da Roz e seu jeito meio brusco de ser. Estou bem curiosa quanto a história dela com Mitch e acredito que vai render boas risadas e muita emoção.
    Bjkas!
    Monique Martins
    @moniquemar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Monique.

      O casal são carismáticos e divertidos juntos. Você vai adorar o encanto dos dois.

      Adorei o jeito possessivo e protetor dele, que lembrou muito o Harper.

      Você vai amar! Nora é DIVA!

      Beijos.

      Excluir
  2. BEstou muito interessada nesta trilogia da NR, não só por ser fã da autora, ma pelas resenhas que tenho lido.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rose.

      Comecei há pouco tempo a me aventurar em seus romances e me tornei fã da Nora.

      Os dois volumes estão maravilhosos, mesmo com revisão deixando a desejar, mas aguardo ansiosa pelo último, que dizem ser o melhor da trilogia.

      Beijos.

      Excluir
  3. Tenho o Dália Azul, mas ainda não li. O Rosa Negra é o meu sonho de consumo do momento, não vejo a hora de conhecer mais uma história maravilhosa da diva Nora, que eu adoro.
    É uma pena esses problemas com a revisão, acaba atrapalhando um pouco, mas nada que tire o prazer de uma boa história.
    Adorei a resenha!

    Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ronevia.

      Tanto "Dália azul" quanto "Rosa negra" são ótimos. A autora vem me surpreendendo a cada livro lido.

      Quanto a revisão concordo plenamente com você.

      Beijos.

      Excluir
  4. Preciso comprar meu exemplar e ler o ália Azul, é claro.
    Espero gostar tanto quanto você!
    ótima resenha, como sempre!

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.