Dois Pesos, Duas Medidas - Judith McNaught

DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS
JUDITH MCNAUGHT
Bertrand Brasil


Este livro (Double Standards, 294p.) é mais um dos romances contemporâneos independentes da autora que tive o prazer de ler com todos os ingredientes que apreciamos: drama, romance e humor.

Aos 34 anos, Nick Sinclair é um homem belo, espirituoso e indolentemente charmoso que traz todas as mulheres aos seus pés por irradiar confiante virilidade. Executivo dinâmico, enérgico e intimidador, mas também inescrupuloso, comanda seus negócios e suas mulheres com ousadia sob um autocontrole implacável.

Órfão de pai desde os quatro anos, fora criado pelos avós. Emanava um poder de magnetismo, o que o tornava fascinante aos olhos das mulheres. Suas facetas variavam da frieza à presunção, do cinismo à arrogância, da simpatia ao bom humor.

Enquanto isso, a bela Lauren Danner – filha de um professor e de uma pianista – sempre desprezou seus parentes por insultá-la desdenhosamente e acharem-na irritante e mal-educada.

Aos 23 anos devido à vida tumultuada e a questão financeira opressiva ela carrega um grande fardo e está insegura quanto ao seu futuro incerto, já que abandonou a carreira devido à saúde precária do pai. Por isso, sem nenhuma saída e assustada, se vê trabalhando como espiã para o empresário tirano Philiph – primo distante de seu pai –, que quer destruir Nick a qualquer custo.

Vivendo uma situação desagradável e insuportável, seu caminho acaba se cruzando com o de Nick que, ao contratá-la com sua perspicácia, imaginou que ela seria mais uma no roll de suas conquistas fáceis, mas ledo engano.

Após suportar, durante seis anos, uma admiração embasbacada e olhares lascivos e maliciosos dos homens, ela encontrara, por fim, um a quem desejava desesperadamente impressionar, e nada acontecia. (...). Intrigada e, sem dúvida, decepcionada, tentou afastar o mal-estar com um encolher de ombros.
Pág. 28

Inexperiente no amor, Lauren era uma mulher forte e possuía uma sensualidade assustadora, enquanto Nick era passional e sedutor, além de um devasso.

Aos poucos, esta musicista que não tinha motivação para ser concertista – já que não herdara a ambição e o talento incansável da mãe –, o deslumbra com sua inteligência e energia, o que o intriga cada vez mais.

Ela queria mais da vida além da música, porque a arte lhe roubara tanto quanto lhe dera, porque devido aos estudos, treinos e emprego jamais tivera tempo para relaxar e divertir-se. Viajou muito, mas nunca teve um relacionamento sério. Era sensata, mas tola no que se referia a Nick, cuja arrogância emanava força masculina e sensualidade.

Sentia uma atração compulsiva que a levava inexoravelmente a ele, que era evasivo e indiferente sobre seu passado. Acaba se apaixonando irremediavelmente e tenta entender esse homem complexo e enigmático, mas também vulnerável. Apesar de inteligente e sensível, pretende fazer com que ele se apaixone por ela.

Como diz o velho ditado: “os opostos se atraem”, nem imaginam o quanto têm muito em comum e admiram um ao outro francamente. Gostei muito dos seus diálogos e joguinhos.

- Cinderela.
- Que me acontece se esta sandália se encaixar?
- Eu o transformo num belo sapo - ela disse, irônica.
Pág. 34

Enquanto Lauren o divertia, enfurecia e excitava, pois era riso, sensibilidade, delicadeza e desafio, porque o desejo sobrepujava a razão; ela admirava sua coragem, obstinação e idealismo.

Em contrapartida, ele nem imagina que ela carrega um grande segredo, que pode abalar a frágil confiança que foi conquistada tanto quanto o seu futuro com esse homem irresistível, que nunca se envolveu emocionalmente com ninguém por não querer depender de uma mulher para ser feliz. 

Lauren faz de tudo para lutar contra este sentimento, o que era exasperador, mas seus sonhos e suas ilusões serão despedaçados?

Tudo na aparência dele, e na maneira como a olhava, advertia-a de que ele podia ser perigoso para a sua paz de espírito.
Pág. 65

Ela conseguirá fazê-lo se apaixonar? Apesar do que lhe acontecera no passado, tornou-se um homem independente e forte, mas ela conseguirá desvendá-lo? 

Como podia um homem exibir tão revoltante autoconfiança, arrogância... E ser tremendamente maravilhoso? (...). Ele era tudo que um homem devia ser - forte, educado, inteligente, sensato -, e tinha um senso de humor, além de ser bonito e sexy...

(...). Nick estava jogando com o desejo, mas Lauren queria fazer com que também a amasse - queria conquistá-lo.
Pág. 91

Ingênua e delicada, ela era sofisticada e obstinada. E não se deixava intimidar por ele, o que a desafiava. Mesmo resistindo fortemente a ele, não imagina que há mais por trás da perseguição que ele exerce: admiração por sua coragem e idealismo.

Mesmo se instigando, o desejo sobrepujará à razão? Ela terá condições emocionais de manter um caso? Desmoronará se a relação chegar ao fim? Quais serão as consequências?

Ela virou sua vida de cabeça pra baixo com seu belo sorriso. Conseguirá curá-lo de seu cinismo e insensibilidade? Desde os cinco anos prometeu não confiar seu coração a nenhuma mulher, mas Lauren conseguirá derrubar essa muralha de gelo e os dois darão vazão aos seus verdadeiros sentimentos?

Primeiramente, achei esta capa maravilhosa em relação aos outros livros da autora publicados pela Bertrand. Apesar de ter encontrado alguns problemas de revisão na minha edição – que é a primeira –, que me incomodou um pouco, a história é clichê e singela, mas tão envolvente e dinâmica que isso se torna relevante diante do fascínio com que os personagens nos arrebata, porque a autora é mestre em transformar qualquer situação singela ou complexa, o que deixa o leitor atônito.

Apesar do desfecho previsível e emocionante, gostaria que a autora tivesse desenvolvido melhor ou escrito mais páginas, porque senti que terminou abruptamente. Queria ter visto mais além, porque a meu ver, o pretensioso Nick merecia sofrer um pouquinho mais depois de tudo que aprontou. [risos].

Em diversos momentos, este personagem me trouxe uma complexidade de emoções, porque em um momento ele me cativava enquanto em outro me irritava por seu orgulho, egoísmo e arrogância ainda mais por tratar as mulheres – que subjugadas, se deixavam humilhar – com divertida indulgência e diferença tolerante, porque era plenamente consciente da atração que exercia.

- Um mês atrás eu achava que você era alguém especial! - retrucou furiosa. - Um mês atrás eu não sabia que você era um playboy milionário lascivo, que muda de cama com a mesma frequência que muda de roupa. Você é tudo que desprezo num homem... Sem princípios, promíscuo e de moral corrupta! Grosseiro, egoísta e, se eu soubesse quem de fato você era, não teria lhe dado a mínima atenção!
Pág. 141

Sabe aqueles personagens no estilo gato e rato que sempre estão em ponto de ebulição? Pois é exatamente, isso que me entusiasma e me fascina nas obras da Judith McNaught. Mesmo que o mocinho seja um cretino, machista e possessivo (o que abomino) é impossível ficar imune aos seus encantos. Nem todos os personagens da autora são assim. Realmente, Nick é terrível, mas depois de tudo ser esclarecido em relação às suas ações e falhas de caráter, ninguém lhe fica indiferente. [risos]. Isso é comum nos livros da autora.

Amei os personagens secundários: Jim Williams (vice-presidente da empresa de Nick que atua como "cupido"), Tony (amigo de longa data de Nick e dono de um restaurante) e Mary (secretária de Nick), uma moralista convicta que trata Sinclair como filho e protege contra jovens libidinosas. E, claro, que o antagonista Philip Whitworth, um personagem detestável, não podia ficar de fora. Gostei tanto de Jim, que queria um livro dele. Quem sabe, né? Adoraria.

Onde tinham ido parar seu orgulho e sua autoestima? Como podia até mesmo pensar em ter um fugaz e sórdido relacionamento com aquele libertino, imoral, arrogante? Não pensaria mais nele. Haveria de varrer aquele homem de sua mente. Para sempre!
Pág. 143

Uma coisa comum em todos os romances dessa escritora que li até hoje, é que os mocinhos consumam o ato antes de se apaixonarem. Quem leu, há de concordar comigo, não?

Apesar de ter gostado muito da história, não é o seu melhor romance neste gênero, já que os meus preferidos são, respectivamente, Em Busca do Paraíso e Lembranças de nós Dois.

Ao longo da leitura tive um torvelinho de emoções conflitantes e oscilantes: ora me divertia, me emocionava e suspirava nas cenas românticas; ora sentia compaixão, irritação, aflição ou raiva diante dos dramas e das ações dos protagonistas ou personagens secundários.

Diante desse turbilhão emocional, que só Judith é capaz de proporcionar ao leitor, não tem como não deixar de se encantar por mais uma bela história de amor.


7 comentários:

  1. Amei, tanto o livro quanto sua resenha Carlinha.
    Nick merecia uns belos tapas, isso sim, kk
    Se a autora me desse o poder de escrever 10 páginas a mais na leitura, ele iria ver o que é capaz uma mulher com raiva, kkk

    Pronto, desabafei, rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como já conversamos em off, ele merecia mais do que isso diante do que aprontou.
      Naquela cena que ele a fez-se humilhar rastejando aos seus pés, fiquei morta de raiva.
      Por isso, ele merecia um castigo com requintes de mulheres vingativas. kkk
      A Lauren foi muito boazinha e ingênua.
      Se fosse comigo... rsrsrs.

      Excluir
  2. Carlinha, nunca li nada da autora... mas me interesso bastante :)


    Beijos,
    Nanie

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério, Nanie?

      Tem alguns dela ótimos!

      Se for ler, comece pelos históricos e, no caso de contemporâneos, leia esses que mencionei que são os melhores dela.

      Se precisar de indicação, só falar.

      Beijos.

      Excluir
  3. Ei Carlinha,
    Eu gostei desse livro, mas confesso que não me marcou. Nick é sensual, mas nã e cativou. rsrs
    Tenho mais uns 4 livros da autora na estante, e ainda pretendo ler. Porém, falta tempo!! rsrs
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Hérida.

      Como eu disse acima, realmente este não é o melhor livro dela, mas gostei no geral.
      Tem mocinhos muito mais marcantes do que Nick.
      Se precisar de indicação, só perguntar e te falo qual o melhor. rs.

      Beijos.

      Excluir
  4. Gostei muito deste livro, não conhecia a autora ganhei o livro de um amigo, mas realmente me tocou bastante a trama.
    Muito bom mesmo.

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.