Cair das Trevas - Cate Tiernan

CAIR DAS TREVAS
CATE TIERNAN
Galera


Este livro (Darkness Falls, 252p., Galera Record), é o segundo volume da trilogia Amada Imortal e gradativamente me surpreendeu já que estava receosa desde a leitura frustrante do volume anterior. 

Devido a demora do lançamento da sequência, sempre acabo me esquecendo de fatos importantes acerca do enredo, o que neste caso não aconteceu, porque a protagonista me colocou a par de tudo o que transcorreu até o presente momento sem ficar cansativo e repetitivo, como é o que acontece em muitos livros do gênero.

Após 450 anos, Nastasya teve sua infância e vida arruinadas e destruídas. Atualmente, sozinha e abandonada pelos amigos tenta levar uma vida normal no retiro de reabilitação para imortais rebeldes, depois de refugiar-se no outono anterior a fim de estabelecer a paz com seu passado. Porventura descobre que não está segura e que nem o belíssimo viking Reyn, que lhe inspirava segurança, é capaz de protegê-la da sua ruína e do mal iminente. Ele será a sua chance para o amor?

Depois de uma resolução de confiar mais porque sempre foi desconfiada e capaz de cometer besteiras, coisas inexplicavelmente obscuras começam a ocorrer sem nenhum propósito, mesmo sendo maléfica pela sua linhagem. 

(...) ah, meu Deus. Eu tinha descartado as trevas. E se... E se eu apenas tiver libertado as trevas, desencadeado? E se eu tiver mandado minhas trevas (...) para o mundo?
Pág. 106

Depois de séculos de libertinagem, ainda remói o sofrimento de ser imortal, mas além de ser egocêntrica agora é competente no trabalho na farmácia e nas tarefas diárias do retiro. Reprimia qualquer emoção que estivesse consumindo sua alma.

Imatura, deslocada e cada vez mais indecisa, Nas tenta descobrir quem é e fazer parte do bem, porque não quer mais reviver o passado, que teima em aparecer fazendo com que encare o problema de frente, mas não tem ideia do que fazer para acertar as coisas, tampouco quer encarar seus pesadelos e sonhos.

Das várias fortunas que ganhei e perdi ao longo dos anos, essa coisa secreta sempre fora meu mais precioso bem. E talvez a chave para o meu declínio eterno. Talvez uma fonte inescapável de mal.
Pág. 107

E, para piorar ainda mais, está cada vez mais confusa em relação aos seus sentimentos por Reyn — que aparenta ser um jovem rude, hostil, taciturno e torturado por lutar bravamente com seus demônios interiores, mas que no fundo era autoconfiante, reservado e introspectivo, cuja presença era reconfortante. —, que desbravou caminhos pela vida há mais de 400 anos, mas era determinado em suas conquistas.

(...). Quando eu estava com ele assim, ligada a ele, me sentia segura. Nada podia me atingir. Nada podia me machucar agora. Só ele.
Pág. 55
E então girou com sentimentos e emoções e com a sensação embriagada de estar completamente presa a ele, desesperada para estar com ele, com fome dele, do toque dele. Era como se eu tivesse conjurado magick com nossos beijos: a mesma luz branca e intensa enchendo meu peito, a explosão de alegria quase dolorosa, os sentimentos tanto de poder quanto de curiosidade. Essa paixão era magick muito forte.
Pág. 247

Enquanto ela era desconfiada e tinha medo de ser feliz por conta das perdas que sofreu; Reyn era infeliz. Mas apesar de possuírem um passado tortuoso e desastroso, ambos têm muito em comum e sentem-se atraídos um pelo outro. Infelizmente, ela ressente deste fato e vive implicando com isso.

(...). Eu só queria poder fazer o tempo parar agora mesmo. Queria ceder, me entregar, abandonar tudo exceto Reyn. (...). Seria tão mais fácil apenas... planar de agora em diante. Sobrecarregar meus sentidos com Reyn, permitir que ele preenchesse minha mente, meu coração, meu corpo.
Pág. 56

Nunca foi uma pessoa forte e equilibrada que visse o lado positivo das coisas, mas neste livro a personagem evoluiu muito, o que foi um bálsamo para mim. Sem rumo e sem saída, Nas acaba se deparando com algo ou alguém perigosíssimo que pode acabar com a sua vida e a de seus amigos colocando tudo o que conquistou e todas as suas crenças — sua herança, seu passado e sua magick — a perder.

Contudo, acaba se dando conta de que era feliz e não sabia (quem nunca disse isso?!), porque a cada revelação bombástica sua sanidade é colocada à prova e sente cada vez mais amedrontada. Será que realmente se enganou este tempo todo?

Será que minha mente estava me dizendo que eu era irremediavelmente sombria? (...). Será que estava no meu sangue e não dava para escapar? E... faria algum sentido eu estar ali se isso fosse verdade?
Pág. 89

Após tantas lembranças dolorosas tenta se encaixar e aprender até que uma grande decisão caminha para uma mudança: para o bem ou para o mal? Descubra, mas em se tratando de Nas podemos esperar tudo! Ela descobrirá qual o significado e o seu propósito de viver?

Se eu achava que refletir sobre a vida era doloroso antes, agora era como uma dor lancinante e profunda, como a agonia crua de ácido sendo jogado no meu cérebro.
Pág. 133

Como enfrentará tudo diante da sua impotência de cara com a morte? Arrepender-se-á de seus atos? Distinguirá o certo do errado antes que se afogue na escuridão? 

Não havia motivo para pensar que ele nos deixaria viver. Eu sabia disso com uma certeza fria, o medo formando lágrimas sem sentido e ardidas nos meus olhos.
Pág. 216

Em busca do seu destino, conseguirá salvá-la de si mesma, se aceitando como é ou perderá a chance de ser feliz e de salvar o seu legado?

— Esse passado é só uma parte de quem eu sou. — Sua voz estava tensa e controlada. — Assim como todas as coisas estúpidas, egoístas e destrutivas que você já fez são apenas parte de quem é.
Pág. 37

O livro mostra que todos valemos a pena sermos salvos, independente de termos uma boa ou má índole. Antes de amarmos alguém precisamos aprender a nos amar primeiro.

— Se você não consegue encarar seus sentimentos, todos eles, então nunca vai ser forte o bastante para se libertar do passado.
Pág. 57
“Nada é bom nem ruim, mas pensar faz com que seja.”
Pág. 72

O romance segue o estilo do anterior, cuja capa permanece com a mesma textura aveludada com toques em alto relevo no título e na parte floral, que está em verniz e narrado em primeira pessoa sob a perspectiva de Nastasya.

Em relação ao primeiro, o enredo — permeado com flashbacks —, teve mais ação, o que conseguiu me prender à leitura.

O que continua me irritando é a petulância, a imaturidade e infantilidade da personagem, o que não condiz com suas ações, mas em relação a Amada Imortal vemos o quanto ela está evoluindo gradualmente, fato que apreciei muito. O único sensato na trama é Reyn, porque diante dos percalços e dos erros passados, faz tudo para crescer como pessoa.

Ninguém além de mim deveria ver o quanto ele era intensamente atraente, o quanto era bonito, o quanto era fatal.
Pág. 76

Continuo apreciando o humor negro e o sarcasmo dos personagens, além de algumas reflexões.

Ao longo da leitura, senti um torvelinho de emoções permeado de drama, romance, aventura, mistério, humor, revelações e tensão nos momentos finais — capaz de arrepiar e arrebatar de forma hipnotizante até o mais cético dos mortais, e fez com que minha adrenalina ficasse à flor da pele — em meios aos sentimentos conflituosos que sela o destino dos protagonistas.

Esta série não é a minha preferida deste gênero que já li, mas é ótima para entreter. O desfecho foi o ápice, porém algumas lacunas serão esclarecidas somente no último volume. Haja ansiedade! 

TRILOGIA AMADA IMORTAL
(Immortal Beloved Trilogy)

1. Amada Imortal (Immortal Beloved)
2. Cair das Trevas (Darkness Falls)
3. Eternally Yours


6 comentários:

  1. Excelente resenha.
    Estou querendo conhecer esta trilogia, tenho ouvido falar muito bem. Bom saber que gostou mais deste que do primeiro, assim não desanimo logo de cara.

    Estou seguindo seu blog para acompanhar as atualizações e sempre que puder fazer uma visita.
    Abraços

    http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu amei e aguardo ansiosa o terceiro e último livro da série.
    Resenha perfeita como sempre!

    ResponderExcluir
  3. Oi Carla, ainda não li Amada Imortal, mas me interessei e muito pela trilogia.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  4. Carlinha,

    Tudo bem?
    Ainda não li Amada Imortal, quem dirá essa sequencia! Mas, adoro as capas meio em veludo e lindíssimas da Galera Record! Quando lançarem o último livro quem sabe eu não leio todos?
    Adorei sua resenha!

    Bjs


    ResponderExcluir
  5. Carlinha, eu gostei demais do primeiro livro da série - que me surpreendeu muito! Estou bastante ansiosa para ler o segundo *-*

    Beijos,
    Nanie

    ResponderExcluir
  6. Eu tenho muita vontade de ler a série. Ainda não li, mas quero muito ler.

    Beijos,
    Carissa

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.