Desastre Iminente - Jamie McGuire

DESASTRE IMINENTE
JAMIE MCGUIRE
Verus


Este livro (Walking Disaster, 406 p.) é a trama de Belo Desastre sob a versão do protagonista, com novas informações que não vimos no primeiro volume, o que acrescentou um tchan a mais à trama acerca do seu futuro com Abby.

Todos já sabemos que Travis Maddox é extremamente intenso, de temperamento forte, arrogante, superprotetor e inclinado para a luta como seus quatro irmãos — Trenton, Taylor, Tyler e Thomas — que também amam jogos. Inflexível, é o típico bad boy sarado, tatuado e cheio de excessos.

Aos cinco anos — antes de perder a mãe para o câncer na infância —, ela lhe deu dois conselhos, que ele seguiu como um mantra por toda a vida: ame muito e lute pelo que quer.

– Um dia você vai se apaixonar, meu filho. Não se acomode com qualquer uma. Escolha a garota que não vem fácil, aquela pela qual você vai ter que lutar, e então nunca deixe de lutar por ela. Nunca... – ela respirou fundo. – deixe de lutar por aquilo que deseja. E nunca... - ela retraiu as sobrancelhas – nunca se esqueça que a mamãe ama você. Mesmo que você não possa me ver. Uma lágrima rolou por seu rosto. - Eu sempre, sempre vou te amar.
Pág. 15

Desde pequenos, os Maddox eram apavorantes, problemáticos e violentos. Apesar de superprotetores e controladores, eram extremamente unidos.

Após a morte da mãe e esposa, todos ficaram perdidos, principalmente seu pai que se tornou um alcoólatra de péssimo temperamento, onde seu irmão mais velho — ainda criança — assumiu as responsabilidades da casa e da família. Atualmente, a família luta para recuperar o tempo perdido.

Apesar de petulante, Travis está determinado em conquistar a temperamental e misteriosa Abby Abernathy, como vimos no primeiro volume, já que ela o desafia por sua imprevisibilidade e o intriga por ser distinta das outras garotas.

Decidi há um bom tempo que me alimentaria dos abutres até que um colibri aparecesse. Um beija-flor. O tipo de alma que não empatasse a vida de ninguém, que simplesmente caminhasse por aí se ocupando das próprias coisas, tentando levar a vida sem puxar ninguém para baixo com suas carências e seu egoísmo. Corajosa. Uma comunicadora. Inteligente. Bonita. De fala suave. Uma criatura que arruma um companheiro para a vida toda. Inatingível até que tenha uma razão para confiar em você.
Pág. 20

Para qualquer pessoa, a jovem aparentava ser pura e ingênua, mas ele sentia que ela estava escondendo algo bem oculto dentro de si mesma enquanto ele soltava suas feras regularmente nas lutas.

Abby era como uma droga que nunca me satisfazia e que eu não queria largar. Mesmo eu não podendo chamar isso de nada além de vício, eu não me atrevia a experimentar nem uma lasquinha. Só a mantinha por perto me sentindo melhor por saber que ela estava ali. Não havia esperança para mim.
Pág. 66

Sentia-se desorientado quando ela estava perto, ao mesmo tempo em que sua presença o reconfortava e o perturbava. No fundo sabia que não a merecia. 

– Então você gosta dela e está com medo. E agora?
– Agora nada. Só é uma merda que, quando eu finalmente encontrei a garota que vale a pena ter, ela é boa demais pra mim.
Pág. 50

Ao longo da trama vemos que ela era o seu oposto e vice-versa: inocente por fora e ferida por dentro. Mesmo perdoando estabeleceu limites que ninguém conseguia cruzar a barreira, fato que acrescentará algo bom em Trav, já que leva uma vida desregrada. Os dois se tornam amigos e, consequentemente, o sentimento vai evoluindo a duras penas.

Nós dois tínhamos um jeito patético de lidar com nossas emoções, e, no segundo em que percebi que havia me apaixonado por ela, eu soube que ela ia acabar comigo.
Pág. 221

Ciumento e possessivo, ele faz de tudo para chamar sua atenção com atitudes e proezas que beiram à infantilidade.

(...): nós não funcionaríamos como casal. Não importava o que eu fizesse ou como trapaceasse para cair nas graças dela, eu nunca seria bom o bastante para ela. Eu não queria que ela ficasse com alguém como eu. Teria que me conformar com as migalhas que ela pudesse me oferecer.
Pág. 79

Possuía uma fúria fervendo dentro de si onde sempre perdia as estribeiras com ataques enraivecidos e surtos de violência. Como se não bastasse, não está nem aí para sua reputação e nem para o que as pessoas pensam, mas tudo muda depois de conhecê-la. Infelizmente, ele não entende porque a jovem sempre ergue um muro entre os dois quando estão em sintonia com seus sentimentos.

– Sabe por que eu te quero? Eu não sabia que estava perdido até que você me encontrou. Não sabia que estava sozinho até a primeira noite em que passei na minha cama sem você. Você é a única coisa certa na minha vida. Você é o que eu sempre esperei, Beija-Flor.
Pág. 263

Ao longo da leitura percebemos que ambos não são bons um para o outro, mas ao mesmo tempo são perfeitos e se completam.

Ela era a única pessoa que acalma sua ira e lida com seus acessos de raiva, já que mesmo o amando se importa a ponto de deixá-lo partir. Determinada em se livrar dos problemas que insistem em persegui-la, ela resistirá com todas as suas forças ao charme desse bad boy?

E o invencível Travis "Cachorro Louco" Maddox será derrotado pelas ironias da vida tornando-se uma pessoa diferente: para melhor ou pior?

Mesmo preferindo a capa da tatuagem, apreciei esta por combinar com a textura do primeiro volume.

O enredo que evoca personagens realistas com suas qualidades e defeitos é narrado em primeira pessoa sob a perspectiva de Travis. A escrita da autora continua fluida e envolvente, mas infelizmente encontrei alguns erros de revisão relevantes, mas que poderiam ser evitados.

Em relação a um fator determinante, vocês perceberão que minha opinião mudou muito desde que li Belo Desastre, pelo qual fiquei inebriada e encantada com várias cenas na época, entre elas: as cenas românticas e doces, as reuniões familiares, o humor. Quando o li, me abstive completamente da realidade, somente com o intuito de me entreter porque tinha lido dois dramas seguidos e isto acabou sendo um bálsamo para mim.

Isso será bem contrastante em relação ao primeiro, que li com a mente aberta, já que na realidade eu fugiria disso porque algumas pessoas possessivas são sufocantes! Não me refiro à possessividade carinhosa e zelosa com alguém que ama e admira como vemos muito por aí, mas aquela doentia e exacerbada que extrapola todos os limites do bom senso. Sempre que digo isso às minhas amigas, elas riem de mim, ainda mais quando menciono livros que possuem personagens com essa característica. Se eu tivesse lido primeiramente esta versão, talvez fosse diferente.

Não sei se essa divergência é devido ao fato de ver constantemente em alguns livros do gênero sempre as mesmas atitudes inconsequentes, irresponsáveis e imaturas dos personagens; não sei se é devido à minha idade ou ao fato de que estou ficando mais exigente e adquirindo mais autoconhecimento em meio ao meu amadurecimento com o passar dos anos, porém algumas dessas atitudes, incluindo o jeito possessivo e controlador do personagem me enervou, principalmente quando Trav perdia completamente as estribeiras por conta de seu ciúme demasiado.

Meus sentimentos conflituosos em relação a ela eram de enlouquecer. Eu estava apaixonado. Não conseguia imaginar uma vida sem ela, mas ao mesmo tempo queria que ela tivesse coisa melhor. Com isso em mente, pensar em Abby com outro cara era insuportável. Nenhum de nós dois poderia sair ganhando e, ainda assim, eu não podia perdê-la. Esse ir e vir constante me deixava exausto.
Pág. 196

Já estou acostumada com isso, mas já vi mocinhos piores que o Travis (não me recordo agora em quais livros foram, já que leio muito). Não aguento ver mocinha perdoando o mocinho depois que este usa de muita persuasão utilizando seu poder de sedução e acaba ficando como se nada tivesse acontecido. Me irritava
com a Abby por não reagir à algumas coisas e aceitar tudo passivamente (Juro! Nesses momentos queria sacudi-los para ver se acordavam pra vida).  

Ainda bem que houve uma evolução em “Desastre Iminente”, o que não aconteceu em outros livros do gênero, o que foi um alívio. Claro que, mesmo discordando das ações doentias de Travis — que leva a vida ao extremo sem se importar com as consequências —, único fator que me incomodou muito, porque a vida é um dom precioso e não devemos desperdiçá-la com excessos e com pessoas que não nos acrescentam em nada. Alguém assim na minha vida, eu simplesmente dispenso.

– Não consigo acertar uma com você. Não consigo acertar uma com você! Você diz que não quer mais nada comigo... Eu estou aqui, triste pra cacete! Tive que quebrar meu celular em um milhão de pedacinhos pra não te ligar a cada minuto de cada maldito dia! Tenho que fingir que está tudo bem na faculdade, pra você poder ser feliz... E você está brava comigo?! Você partiu a porra do meu coração! – gritei.
Pág. 341

Não nego que apreciei a história sob essa nova perspectiva, onde compreendi todas as nuances emanadas através de seus sentimentos conturbados e explosivos pela mocinha. Como o próprio título diz, desde que se conheceram sentimos que houve aquela tensão no ar, cuja relação estaria à beira de um desastre iminente.

– O que você quer de mim, Travis? Você não quer que eu fique chateada com o que você fez, mas quer que eu me importe. Você disse à América que não quer me namorar, mas fica irritado quando digo a mesma coisa... tão irritado que saí feito um raio e fica ridiculamente bêbado. Não dá pra te entender.
Pág. 141
– Eu sei que a gente tem problemas, tá? Sou impulsivo, esquentado, e você me faz perder a cabeça como ninguém. Num minuto você age como se me odiasse, e no seguinte como se precisasse de mim. Eu nunca faço nada direito, eu não te mereço... mas, porra, Abby, eu te amo. Eu te amo mais do que jamais amei alguém ou alguma coisa em toda a minha vida. Quando você está por perto, não preciso de bebida, nem de dinheiro, nem de lutas, nem de transas sem compromisso... eu só preciso de você. Eu só penso em você. Eu só sonho com você. Eu só quero você.
Pág. 229

Através de cenas inéditas vi o que o levou a se tornar quem é — isso ficou subentendido nas entrelinhas no primeiro volume —, já que a autora nos mostrou o quanto os personagens evoluíram com o epílogo surpreendente e que AMEI, que sucede onze anos após os últimos acontecimentos de Belo Desastre.

Teve momentos em que cheguei a me emocionar e adorei o desfecho, que salientou e deixou os personagens mais humanos com suas falhas e atraente aos olhos do leitor que não curtiu a perspectiva feminina e acabou sendo cativado ainda mais pela perspectiva masculina onde eles mostraram o quanto o amadurecimento, a força e a coragem são essenciais ao ponto de se redimir em nome do amor.

Ao que tudo indica, a série não terá sequências, mas a autora está escrevendo uma série spin-off com os irmãos Maddox. Estou doida para saber mais sobre eles, já que a autora deixou muita coisa em aberto em Desastre Iminente.

6 comentários:

  1. Será que posso ler esse livro sem medos?
    To tão assim com jovens inconsequentes e destrambelhados.
    Travis me deixou bolada no primeiro livro, espero que essa impressão se desfaça.
    Agora fiquei com vontade de ler.
    Ótima resenha como sempre Carlinha, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leninha.

      Pode, sim. Mesmo com os deslizes por conta do temperamento explosivo do Trav, as cenas extras valeram a pena.

      Também estou cansada de personagens inconsequentes. Se eu tivesse lido essa versão primeiro, entenderia perfeitamente seu comportamento. Foi um alívio entrar na cabeça do personagem.

      Beijos.

      Excluir
  2. Carlaaa!
    Teremos próximo ano "A Beautiful Wedding" *-*
    Jamie já confirmou o lançamento para esse mês lá, aqui no Brasil sem previsões.

    Sinopse:

    Você sabe que Abby Abernathy inesperadamente se tornou a Sra. Maddox. Mas o que você realmente sabe? Que segredos foram compartilhados antes da cerimônia?
    Onde é que eles passaram a noite de núpcias? Quem mais sabia sobre isso… e não disse?

    Tudo sobre a fuga de Abby e Travis foi um super segredo… até agora. Fãs de Desastre Iminente e Belo Desastre terão todas as suas perguntas respondidas neste conto turbulento sobre o dia (e noite!) do casamento do casal. E como com todas as boas histórias, esta vai certamente ter valido a espera.

    Também ando ansiosa com os irmãos do Travis! *-*
    Ótima resenha Carla :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ly.

      Fico feliz que tenha gostado da resenha.

      Eu já sabia da novidade. Vi no GoodReads e fiquei curiosa. Vi que a versão original já está à venda na Amazon. A editota Verus irá trazer para o Brasil em meados de 2014, segundo me disseram. Vamos aguardar.

      Beijos.

      Excluir
  3. Oi, Carla.
    Eu me apaixonei pelo Travis na versão da Abby e após leitura do livro na versão dele estou 100% apaixonada pelo Travis e seus irmãos, espero que a autora escreva sobre todos os irmãos Maddox .

    Beijos e Desejo um 2014 repleto de realizações!
    Lu do Blog Apaixonada por Romances

    ResponderExcluir
  4. Oie!
    Esses livros estão sendo muito comentados, então mal posso esperar para lê-los.
    Beijos e até mais.
    Ana.
    http://www.umlivroenadamais.com/

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.