Tipo Destino - Susane Colasanti

TIPO DESTINO
SUSANE COLASANTI
Novo Conceito
 

Este romance (Something Like Fate; Colasanti, Susane. Tipo Destino, 288p.. Ribeirão Preto, SP: Novo Conceito Editora, 2013.) é o segundo da autora que leio, que me agradou e mostrou alguns temas sérios — como é de praxe em qualquer livro do gênero — retratando a traição entre amigas por conta do fascínio exercido pelo primeiro amor.

Como eu poderia fazer isso com ela?
Ela salvou a minha vida.
Pág. 119

Lani e Erín são amigas inseparáveis até que um dia suas vidas são influenciadas pelo Destino, que as muda de tal maneira que as jovens não conseguem controlar o que acontece.

Erín é corajosa, autoconfiante, destemida e expansiva, mas também egocêntrica. Adora trabalhar como voluntária e ajudar ao próximo. Quando almeja algo luta até conseguir. Adora ser o centro das atenções e falar sobre garotos. 

Está namorando o divertido e popular Jason, que trabalha também como monitor. Além disso, ele é sensível, inteligente e charmoso esbanjando muita paciência, otimismo e idealismo.

Já a inteligente e excêntrica Lani é forte, racional, introvertida e tem pavor de nadar, fato que me lembrou de Ivy, na série Beijada por um Anjo, da Elizabeth Chandler. Criativa e revolucionária apoia grandes causas humanitárias onde luta pela preservação do meio ambiente fazendo um trabalho de reciclagem. 

Muito dura consigo mesma, nunca namorou porque não encontrou alguém com quem se identificasse.

A maior parte das garotas quer tanto um namorado que só consegue pensar nisso. Elas acham que, assim que arrumarem um namorado, a vida delas vai ficar perfeita no mesmo instante. Parece que não lhes ocorre que a razão para se sentirem solitárias, ou tristes, ou entediadas, pode ter a ver com elas e não com a falta de outra pessoa.
Pág. 155

Duas amigas que compartilham uma história intensa, além de serem irmãs de alma, elas possuem um forte elo que as une. Além disso, adoravam tudo relacionado à astrologia já que interpretavam sonhos e eram obcecados pelo Destino. Infelizmente, as coisas não são mais as mesmas, pois estão amadurecendo.

Outro que integra esse grupinho é o divertido Blake, melhor amigo e confidente de Lani, que ainda não saiu do armário por conta das represálias com seu pai, já que brigam constantemente e essa agressão verbal é muito dolorosa. Essa foi uma das passagens mais emocionantes do livro que mostra um pouco da homossexualidade na atualidade.

Não consigo acreditar que ainda exista homofobia... A essa altura, esse já deveria ser um conceito arcaico. Por que todo mundo não pode entender que somos todos humanos — diferentes, mas iguais, ao mesmo tempo?
Pág. 207
— Você tem ideia de como é a sensação de saber que seu próprio pai o odeia? — Blake grita ainda mais alto. — Você deveria me amar! É seu dever! Sou gay e você nem consegue pronunciar a palavra. Não consegue admitir quem eu sou de verdade.
Pág. 259

Ao conhecer o namorado da amiga, Lani tem uma conexão instantânea com Jason. Sente-se à vontade como se o conhecesse há anos e percebe o quanto têm em comum além da afinidade profunda.

Nos conectamos de um modo que sempre desejei que pudesse existir. Há muito tempo venho ansiando por alguém como ele entrar em minha vida. Agora é a minha chance de saber como é esse tipo de amor. Como posso continuar a lutar contra o que há entre nós?
Pág. 109

Um dia, uma cartomante prevê conflitos no destino das amigas.

— Você está ligada a outra pessoa por um acontecimento trágico, mas esse laço será rompido por outra pessoa.
Pág. 62

Todos sabem que o amor não tem lógica, ele nos escolhe, mas a vida de Lani voltará a ser o que sempre desejou? A amizade será forte para sobreviver a esta tormenta? Sabemos que tudo que é intenso machuca, mas realmente há limite entre amizade e amor?

— Você não pode negar a realidade. E daí se a realidade é um pouco difícil? Nós dois sabemos que a vida é tudo, menos fácil.
Não há como Jason estar gostando de mim. E mesmo que estivesse, eu não poderia gostar dele também. Que tipo de pessoa faria isso com a sua melhor amiga?
Pág. 39

Após um acampamento de verão, muitos sentimentos conflituosos e outros em ponto de ebulição, qual sentimento ganhará: O amor ou a amizade?
Façam suas apostas!

— Não podemos fazer isso — eu digo.
— Por que não?
— Erin é a minha melhor amiga.
— Então, ela quer que você seja feliz, certo?
— Sim, mas...
— Lani — Jason sussurra. — Nós pertencemos um ao outro.
Então ele me beija.
Pág. 156

A capa refletiu um dos momentos do livro, cuja escrita é bem agradável e fluída. A diagramação está ótima, entremeada de várias citações lindas, apesar de ter encontrado alguns erros de revisão. O enredo, dividido em três partes, é bem similar aos conflitos e inseguranças do livro O noivo da minha melhor amiga, da Emily Giffin.

Ao longo da leitura amei a dinâmica dos bilhetinhos codificados com frases sem sentido.

Apesar de terem quase dezessete anos, gostei do quanto alguns personagens são maduros diante das circunstâncias, mesmo com suas falhas. Algumas atitudes de Jason me irritaram, como o fato de ter pisado na bola diversas vezes desencadeando dor e sofrimento às amigas. Erin me surpreendeu no final, porque era uma pessoa totalmente diferente daquela que apregoava coisas boas.

Estou muito magoada. Como alguém que já significou tanto para uma pessoa pode passar a não representar nada de um dia para o outro?
Pág. 245

O desfecho foi previsível, mas esperava mais porque terminou de forma muito brusca e isso me decepcionou. Gostaria que a escritora tivesse desenvolvido e aprofundado melhor o enredo, já que achei algumas coisas totalmente desnecessárias e faltou intensidade. Todos sabem que eu detesto qualquer tipo de traição, mas a escritora tratou o tema com muita sensibilidade levando-nos a ver o motivo por trás das ações tomadas.

Além do enredo em si e abordar algumas questões bem atuais, o livro mostra lições de superação e coragem nos incutindo um pouco de esperança na humanidade, porque qualquer laço que temos com alguém é o que nos define.

Talvez tudo o que aconteça em nossa vida não tenha sido decidido antes pelo Destino. Talvez tenhamos alguma influência no que acontece... Se quisermos alguma coisa com muita intensidade, isso pode mudar nosso destino? Ou as coisas se tornam verdades de qualquer forma, não importa o que façamos?
Pág. 254

A pessoa destinada pode estar ao seu lado o tempo todo. Nunca lute contra seus sentimentos, siga o seu coração para encontrar o verdadeiro amor, porque nada deterá sua busca rumo a essa jornada.

Se você curte histórias juvenis, este romance é ideal para relaxar, mas não crie expectativas para não sair frustrado.

5 comentários:

  1. Oi Carla, eu tenho este livro, mas ainda não o li. Eu não tenho mesmo grandes expectativas em relação a ele, mas espero que seja agradável.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rose.
      A leitura é muito agradável! Você vai gostar.
      Só fiquei decepcionada com o final.
      Por isso, alertei para não criar expectativas para não se frustrar.
      Beijos.

      Excluir
  2. Uma boa pedida sempre.
    Tenho que ler para tirar a prova dos 9, mas acredito que será uma ótima leitura distração, para fugir um pouco dos meus dramas.
    beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leninha.
      É desse tipo mesmo, nada melhor do que nos distrair por algumas horas. Delícia, né? Você lê rapidinho, mas como disse não crie expectativas que a leitura será satisfatória. :)
      Beijos.

      Excluir
  3. Ainda nao tive a oportunidade de conhecer a narrativa da autora, mas gostei do enredo a pesar de tu ter falado para nao ficarmos esperançosos com o livro. Espero poder ler em breve o livro.


    xx

    ResponderExcluir


Quer deixar seu comentário? Fique à vontade!

Agradeço sua visita e volte sempre! ^^

Postagens Recentes

Últimos Comentários

Copyright © 2009, 2015 - Sonho de Reflexão - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
As postagens desse blog são de minha autoria. Se tiver algo produzido por outra pessoa, os créditos serão devidamente mencionados. Se quiser reproduzir algum texto meu, me avise e dê o devido crédito. Leia os "Termos de Uso". A imagem da mulher lendo foi retirada do quadro "A Quiet Moment" da artista americana Sandra Kuck.